Extremos
 
 
Everest 2023
18 ANOS DE COBERTURA ONLINE DO EVEREST
 
 
Quando encerra a temporada, eu volto a colocar os avatares coloridos no todo das montanhas.
 
 
CUMES MORTES
FACE SUL FACE NORTE FACE SUL FACE NORTE
ESTRANGEIROS SHERPAS CLIENTES SHERPAS ESTRANGEIROS SHERPAS ESTRANGEIROS SHERPAS
263 393 0 0 11 7 0 0
656 0 18 0
656 18
 
destaque
 
GRADE 6 GRADE 6 GRADE 6 GRADE 6
EVEREST EVEREST SEM O2 EVEREST EVEREST

• 1º CA: LOBUCHE EAST
• 2º CA: EBC-1C1-3C2-6700-EBC
• 3º CC: EBC-1C1-2C2-1C3-C4-8200-C4-C2-EBC
• FIM DE EXPEDIÇÃO


• 1º CA: LOBUCHE EAST
• 2º CA: EBC-1C1-2C2-6700-EBC
• 3º CA: EBC-1C2-1C3-7800-1C2-EBC
• 3º CC: EBC-1C1-2C2-1C3-C4-8200-C4-C2-EBC...
• FIM DE EXPEDIÇÃO


• 1º CA: LOBUCHE EAST
• 2º CA: EBC-1C1-3C2-6700-EBC
• 3º CC: EBC-1C1-2C2-1C3-C4-8200-C4-EBC
• FIM DE EXPEDIÇÃO


• 1º CA: LOBUCHE EAST
• 2º CA: EBC-1C1-3C2-6700-EBC
• 3º CC: EBC-1C1-2C2-1C3-C4-8200-C4-C2-EBC
• FIM DE EXPEDIÇÃO

ARNOLD COSTER EXPEDITION ARNOLD COSTER EXPEDITION CLIMBING THE SEVEN SUMMITS ELITE EXPED (NIMSDAI)
EVEREST e LHOTSE EVEREST e LHOTSE EVEREST e LHOTSE EVEREST

• 1º CA: LOBUCHE EAST
• 2º CA: EBC-1C1-3C2-6800-EBC
• 3º CC: EBC-2C2-1C3-C4-CUME-1C3-EBC
• FIM DE EXPEDIÇÃO

• 1º CA: LOBUCHE EAST
• 2º CA: EBC-1C1-3C2-6800-EBC
• 3º CC: EBC-2C2-1C3-C4-CUME-1C3-C2-LUKLA
• FIM DE EXPEDIÇÃO


• 1º CA: LOBUCHE EAST
• 2º CA: EBC-2C1-2C2-C3-1C2-EBC
• 3º CC: EBC-3C2-1C3-C4-EVEREST-C4-LHOTSE-1C2-EBC
• FIM DE EXPEDIÇÃO


• 1º CA: EBC-2C1-2C2-6600-EBC
• 2º CC: EBC-1C1-2C2-1C3-C4-CUME-1C2-EBC
• FIM DE EXPEDIÇÃO
LEGENDA: • CA = CICLO DE ACLIMATAÇÃO • EBC = EVEREST BASE CAMP • FF = FOOTBALL FIELD (5.700m) • C1 = CAMPO 1 (5.900m) • C2 = CAMPO 2 (6.400m) • C3 = CAMPO 3 (7.200m) • C4 = CAMPO 4 (8.000m)
• 1C1 - UMA NOITE NO CAMPO 1 • ... O CICLO EM ANDAMENTO • ABC = ACAMPAMENTO BASE AVANÇADO (6.500m - FACE NORTE) • CC = CICLO DE CUME • KTM KATMANDU • VS =VALE DO SILÊNCIO (6.520m)
• YB = YELLOW BAND (7.580m) • GS = GENEVA SPUR (7.900m) • BY = BALCONY (8.380m)
 
podcast
 
 
 
notícias
 
 

31.05.2023 - 16:30 Brasil

Podcast 382

 

29.05.2023 - 00:01 Brasil

Fim da temporada 2023

  Elias Luiz  
     

Obrigado a todos que acompanharam mais uma temporada da Cobertura do Everest. Espero encontr-laos por aqui em 2024.

70 anos da Conquista do Everest

Hoje está se comemorando o Jubileu de Platina da consquita do Everest, e lá se vão 70 anos.

Em 29 de maio de 1953, o neozelandês Edmund Hillary e seu guia nepalês Tenzing Norgay eram os primeiros a atingir o cume do Monte Everest, a montanha mais alta do mundo.

"A barreira decisiva antes do pico era um paredão superliso de 25 metros, quase sem possibilidades de apoio. Escolheram, então, o lado leste, onde havia uma enorme massa de neve. Hillary foi primeiro, enquanto Tensing garantia a segurança do terreno. Os minutos pareciam durar dias. Também os joelhos e ombros tinham que ajudar braços e pernas a puxar o corpo para cima, tão difíceis eram os movimentos naquela altura. Foi uma luta contra o tempo e contra o fim do oxigênio. De repente, Hillary constatou que não dava mais para subir, o pico tinha chegado ao fim. A partir dali, só dava para descer novamente. Foi quando ele e seu guia se abraçaram na montanha mais alta do mundo."

Assim o alpinista austríaco Peter Habeler narra a aventura de Hillary e Norgay. Pela primeira vez, em 29 de maio de 1953, era derrotado o gigante do Himalaia. Uma vitória do ser humano, depois de mais de 30 anos de tentativas fracassadas e muitas mortes. Vinte e cinco anos mais tarde, o próprio Habeler e Reinhold Messner conquistaram outra façanha: escalaram o Everest sem máscaras de oxigênio.

Edmund Hillary e Tenzing Norgay
 

Ao retornar ao seu meio depois da grande aventura, Hillary confessou não ter ficado muito emocionado. "Estávamos cansados, isso sim, não sabíamos como aguentar a volta, mas ao mesmo tempo fui tomado de uma imensa paz interior. Eu me perguntava por que tivemos aquela enorme sorte, se outros melhor capacitados não conseguiam", afirmou o neozelandês.

Desde a década de 1920, muitas expedições, principalmente inglesas, haviam tentado concluir a escalada do Everest e das outras 13 montanhas com mais de 8 mil metros de altura. O ponto mais difícil da escalada vem depois dos 7.600 metros, quando a temperatura fica muito baixa e o ar, muito rarefeito. Hoje, os nativos lamentam que a montanha mais alta do mundo, que chamam de "Casa dos Deuses", seja tão profanada e poluída. Pessoas com pouca experiência em alpinismo gastam fortunas para arriscar não só as suas vidas, como também a dos guias para chegar ao "teto do mundo".

Continua controvertido, no entanto, se outra dupla não teria alcançado o pico antes de Hillary. Em 1924, os ingleses George Mallory e Andrew Irvine fora vistos pela última vez a 8.600 metros de altura. Em 1933, foi encontrada uma ferramenta deles. E em 1998, alpinistas americanos encontraram o cadáver de Mallory. O de Irvine continua desaparecido. Eles teriam atingido o pico mais alto do mundo 29 anos antes de Hillary? A câmera fotográfica de Mallory, que certamente teria registrado este momento, jamais foi encontrada. Messner, porém, afirma que não: segundo ele, naquela época ainda não era possível escalar o paredão liso abaixo do pico, hoje batizado Edmund Hillary.

Edmund Hillary e Tenzing Norgay
 

Todos os brasileiros que já escalaram o Everest

         
1º (2 cumes)
1º Cume Face Norte: 14.05.1995
2º Cume Face Sul: 02.06.2005
Idade no cume: 29, 39
Nascimento: 12.03.1966
Foz do Iguaçu / PR




Cume: 14.05.1995
Face Norte (Tibet)
Idade no cume: 32 anos
Nascimento: 14.06.1962
Teresópolis / RJ




Cume: 02.06.2005
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 33 anos
Nascimento: 12.06.1971
Curitiba / PR



4º (2 cumes)
1º Cume Face Norte: 02.06.2005
2º Cume Face Norte: 19.05.2006
Sem Oxigênio Suplementar
Morreu no Campo 3 (8.300m) de
HAPE ou HACE
Idade no cume: 37, 38
Nascimento: 13.12.1967
Belo Horizonte / MG

Cume: 19.05.2006
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 40 anos
Nascimento: 11.01.1966
Igarapava / SP



         
6º (3 cumes)
1º Cume Face Sul - 27.05.2008
2º Cume Face Sul - 20.05.2011
3º Cume Face Sul - 21.05.2013
Idade no cume: 39, 42, 44
Nascimento: 09.05.1969
Ibitinga / SP

Cume: 27.05.2008
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 38 anos
Nascimento: 02.07.1969
Campinas / SP


Cume: 17.05.2010
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 53 anos
Nascimento: 20.08.1956
Farroupilha / RS


Cume: 17.05.2010
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 46 anos
Nascimento: 04.01.1964
Manaus / AM

10º (3 cumes)
1º Cume Face Sul: 07.05.2011
2º Cume Face Sul: 19.05.2016
3º Cume Face Sul: 20.05.2018
Idade no cume: 24, 30, 32
Nascimento: 10.05.1986
Campinas / SP

         
11º
Cume: 07.05.2011
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 38 anos
Nascimento: 27.04.1973
São José dos Campos / SP

12º (2 cumes)
1º Cume Face Sul: 17.05.2013
2º Cume Face Norte: - 21.05.2017
Idade no cume: 31, 35
Nascimento: 14.05.1982
São Paulo / SP

13º
Cume: 23.05.2013
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 43 anos
Nascimento: 28.02.1970
São Paulo / SP

14º
Cume: 19.05.2016
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 37 anos
Nascimento: 26.11.1978
Bauru / SP

15º
Cume: 21.05.2016 - 6h00
Face Norte (Tibet)
Idade no cume: 47 anos
Nascimento: 26.11.1968
Monsenhor Tabosa / CE

         
16º
Cume: 21.05.2016 - 7h00
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 38 anos
Nascimento: 15.03.1978
Pelotas / RS

17º
Cume: 16.05.2017 - 10h30
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 42 anos
Nascimento: 10.06.1974
São Paulo / SP

18º
Cume: 16.05.2018 - 11h30
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 43 anos
Nascimento: 03.02.1975
Brasília / DF

19º
Cume: 19.05.2018 - 09h00
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 29 anos
Nascimento: 08.03.1989
Santa Rosa / RS

20º
Cume: 20.05.2018 - 07h43
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 23 anos
Nascimento: 06.09.1994
São José dos Campos / SP

         
21º
Cume: 20.05.2018 - 07h43
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 60 anos
Nascimento: 07.04.1958
Votuporanga / SP

22º
Cume: 21.05.2018 - 06h43
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 49 anos
Nascimento: 14.05.1969
Criciúma / SC

23º
Cume: 21.05.2018 - 13h45
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 55 anos
Nascimento: 25.10.1962
Novo Hamburgo / RS

24º
Cume: 22.05.2019 - 03h11
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 48 anos
Nascimento: 11.01.1971
Governador Valadares / MG

25º
Cume: 23.05.2019 - 11h30
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 39 anos
Nascimento: 14.09.1979
Rio Negro / PR

         
26º
Cume: 23.05.2021 - 07h21
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 46
Nascimento: 08.07.1974
Belo Horizonte / MG

27º (3 cumes)
1º Cume Face Sul: 23.05.2021
2º Cume Face Sul: 15.05.2022
3º Cume Face Sul: 22.05.2023
Idade no cume: 33, 34, 35
Nascimento: 30.05.1987
Cruzeiro / SP
28º
Cume: 23.05.2021 - 09h04
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 38
Nascimento: 12.11.1982
São Paulo / SP

29º
Cume: 23.05.2021 - 10h30
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 37
Nascimento: 14.02.1984
Campinas / SP

30º
Cume: 23.05.2021 - 10h45
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 47
Nascimento: 08.02.1974
São Paulo / SP

         
31º
Cume: 16.05.2022 - 03h45
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 68
Nascimento: 26.11.1953
Curitiba / PR

32º
Cume: 16.05.2022 - 06h15
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 35
Nascimento: 11.04.1987
Bagé / RS

33º
Cume: 16.05.2022 - 06h15
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 40
Nascimento: 16.08.1981
Porto Alegre / RS

34º
Cume: 17.05.2023 - 07h20
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 33
Nascimento: 21.10.1989
São Paulo/ SP

35º
Cume: 22.05.2023 - 08h15
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 45
Nascimento: 09.09.1977
Rio de Janeiro / RJ

         
       
36º
Cume: 22.05.2023 - 09h35
Face Sul (Nepal)
Idade no cume: 32
Nascimento: 18.08.1986
Rio de Janeiro / RJ

       
         
 

26.05.2023 - 14:35 Brasil | 23:20 Nepal

Highlights do Everest

  Elias Luiz  
     

A temporada está chegando ao final e como passei muitos dias focado em acompanhar o ataque ao cume dos brasileiros e que foi muito emocionante, a normal que algumas coisas aconteceram e acabei não noticiando. Vou passar para vocês o que de principal aconteceu nestas últimas semanas no Everest.

Mortes no Everest

Até o momento são 12 mortes na temporada. Há 3 desaparecidos que podem elevar esse número para uma das quatro piores temporadas do Everest.

Briga de gigantes

• Pasang Dawa chegou ao cume pela 26ª vez, alcançando o recorde de Kami Rita.
• Kami Rita chegou ao cume pela 27ª vez se isolando no recorde
• Pasang Dawa chegou ao cume pela 27ª vez, alcançando o recorde de Kami Rita.
• Kami Rita chegou ao cume pela 28ª vez se isolando no recorde
Isso tudo aconteceu em um espaço de 9 dias.

+ recordes e feitos

• O casal surdo dos Estados Unidos, Scott Lehmann e Shayna Unger, fizeram a escalada do Everest e Lhotse com sucesso, completando o double-head.

• O ex-soldado britânico Gurkha Hari Budha Magar entrou para história ao ser o primeiro amputado duplo acima do joelho do mundo a escalar o Monte Everest.

• A alpinista norueguesa Kristin Harila chegou ao cume do Everest e do Lhotse em um intervalo de apenas oito horas, completando sua 6ª montanha em apenas um mês. Kristin está em busca de escalar todos os 14 picos acima de 8.000m em menos de seis meses.

• A chinesa Sui Cho Yuan, de apenas 16 anos, chegou ao cume do Everest no dia 15 de maio e se tornou a mulher chinesa mais jovem no topo do mundo.

A espera de um milagre

• O alpinista húngaro Suhajda Szilard, que saiu para o ataque ao cume do Campo 4, na noite do dia 23 e que não estava usando oxigênio suplementar, foi visto pela última vez no Hillary Step. Na manhã de 25 de maio, uma equipe que estava se aproximando dos 8.780 metros, na parte inferior do Hillary Step, o encontrou, e disse que ele poderia ser claramente identificado por suas roupas. Quando eles passaram por ele, ele mostrou sinais de vida, mas havia também sinais de congelamento e edema cerebral de alta altitude.
Uma equipe de resgate seria enviada na manhã do dia 26, mas ainda não temos notícias.

Gurkha Hari Budha Magar no cume do Everest. O casal de surdos, Scott Lehmann e Shayna Unger
O alpinista húngaro Suhajda Szilard A alpinista norueguesa Kristin Harila
• Kami Rita o recordista com 28 cumes do Everest Pasang Dawa em 2º lugar com 27 cumes do Everest
 

25.05.2023 - 09:40 Brasil | 06:55 Nepal

O lixo no Everest salvou a vida de Gabriel Tarso

  Elias Luiz  
     

Bernardo Fonseca tinha como objetivo escalar o Everest e o Lhotse com o filmmaker Gabriel Tarso. Até então nenhum brasileiro havia completado o Double-Header. A meta também era produzir um documentário conscientizando as pessoas sobre o lixo deixado nas montanhas.

Quando se prepravam para o Ciclo de Cume, o brasileiro Roberto Terzini tinha acabado de completar o Double-Header primeiro que eles, escalando o Everest no dia 21 e o Lhotse na manhã seguinte.

Isso não desmotivou a dupla, que logo partiu para o Ataque ao Cume, onde enfrentaram ventos fortes, mas conseguiram chegar ao topo do Everest. Bernardo tornando-se o 35º brasileiro a conquistar esse feito e Tarso pela 3ª vez.

Na descida, Bernardo se distanciou e Tarso começou a enfrentar problemas. Por algum motivo o oxigênio do seu cilindro havia acabado antes do esperado. Começou a ter delírios devido a falta de oxigênio, o que já é o princípio do mal da montanha… e o seu sherpa também desceu. Sozinho, sentado em algum lugar do Cume Sul (8.686m), Tarso passou quase duas horas sofrendo com delírios e perdas dos sentidos. Até que teve a ideia de pegar os cilindros de oxigênio que estavam a sua volta, que foram abandonados por outros montanhistas ao fazerem a troca neste ponto.

Após testar alguns, acabou encontrando um cilindro que ainda tinha oxigênio… e ironicamente foi o lixo abandonado na montanha que o salvou. Agora, respirando oxigênio engarrafado, teve forças para iniciar a descida e mais abaixo avistou um dos sherpas que subia em sua busca e assim desceram juntos até o Balcony, onde Bernardo estava esperando.

Como ainda estava se sentindo mal, depois de quatro horas de descanso no Campo 4, resolveu descer para o Campo 3 com Bernardo, desta forma ambos desistiam da escalada da Lhotse. Mas a escolha foi certa. Do Campo 3 desceram para o Campo 2, onde Tarso foi resgatado de helicóptero até Lukla e depois Katmandu. Bernardo desceu para o Campo Base onde encerrou a sua jornada.

Neste momento que escrevo, Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso estão em Katmandu e ambos estão bem de saúde e com histórias para contar.

Lixo no Everest

Resolver o problema do lixo no Everest é uma questão muito mais profunda do que apenas abrir uma bandeira no cume. Se todos os problemas da vida se resolvessem assim, tudo seria mais fácil. Então por favor, levem as bandeiras da Paz, fim da fome e também a da prosperidade para todos.

A bandeira que tem que ser hasteada é a da educação, só ela para mudar a cultura de um povo e também para conscientizar os estrangeiros.

Os nepaleses e sherpas tem uma cultura totalmente diferente da nossa. Para eles, o seu deus está em todos os lugares, até mesmo no lixo… e por isso eles não tem a mesma aversão que nós temos ao lixo.

Talvez, você que está lendo isso, acha que estou sendo duro e já está se sentindo incomodado e louco para gritar. Se acalme. Ultimamente as pessoas andam se incomodando muito facilmente com a verdade e abraçam carinhosamente a doce mentira.

O problema do lixo no Everest não se resolve com uma bandeira ou apenas com o dinheiro que a Coca-Cola está empregando, montando grupos de sherpas para limpar a montanha. Sim, isso ajuda, mas a raiz do problema é mais profunda. Ao mesmo tempo que limpam, também sujam. As vezes nem limpam e escalam o topo do mundo para melhorar o seu curriculum e assim terem um futuro melhor trabalhando de guia no Everest.

O que tem que se mudar é a cultura e isso só investindo na educação. De começo, todo o sherpa, porteador, cozinheiro e estrangeiro deveriam passar por um treinamento e só depois ir para a montanha. Junto a isso, tem que se investir na educação das crianças, para formar os futuros profissionais da montanha ou da vida. E talvez tudo isso que estou falando, seja ainda apenas a ponta de um iceberg.

Saudades das ações realmente concretas que brasileiros de outrora fizeram no Everest, como: Karina Oliani, Carlos Santalena, Manoel Morgado e Rodrigo Raineri. Construiram escolas, pontes, cisternas, casas, etc, em vilarejos sherpas carentes que trabalharam em suas expedições ou mesmo em vialarejos que foram afetados pelo terremoto de 2015. Ações que Karina Oliani, como médica, empreendia com outros médicos brasileiros a vilarejos distantes.

Quanto a você que está lendo esse texto, sei que você não é nepalês, então faça a sua parte e não deixe lixo na montanha, a não ser que seja um cilindro de oxigênio pela metade, lá no teto do mundo.

Bernardo Fonseca no cume do Everest. Foto: Gabriel Tarso Gabriel Tarso no cume do Everest. Foto: Bernardo Fonseca
 

24.05.2023 - 23:50 Brasil | 08:35 Nepal - Atualizado: 07:07

Onde estava Kilian?

  Elias Luiz  
     

Kilian Jornet passou dias sem dar notícias, mas agora finalmente divulgou informações que você pode ler abaixo. O objetivo dele era escalar o Everest pela West Ridge e finalizando pelo Hornbein Couloir até o cume. Depois desceria até o Colo Sul e escalaria o Lhotse pela crista e desceria para pela Canaleta. Exatamente o mesmo projeto de escalada do saudoso Ueli Steck. Pelo visto ele estava querendo homenagear o amigo, exatamente no ano de Jubileu de Platina da conquista do Everest.

De volta de Khumbu, Nepal!
Esta expedição foi um fracasso. Ou?
Não alcancei o cume que pretendia. Mas tudo mais.

Acredito muito que o como é muito maior e mais importante do que o quê e, nesse sentido, a subida foi perfeita. Como um grande quebra-cabeça com todas as peças menos uma, a do cume.

Em 1963, o falecido Tom Hornbein e Willi Onsoloed fizeram a primeira subida desta bela rota. Foi um prazer seguir seus passos um pouco. Minha subida começou subindo um couloir íngreme para alcançar o ombro oeste, as condições lá eram horríveis, gelo azul por baixo com uma camada superior de neve profunda, 2 degraus para cima e um para baixo por 1000m! Quando cheguei ao ao topo estava ventando muito, então fiquei sob uma cornija por 3h para me acalmar enquanto assistia às filas de escaladores de rotas normais nepalesas e tibetanas fazendo sua progressão. Depois que o vento acalmou, continuei o cume e atravessei em terreno misto em direção aos pés do couloir de Hornbein. Eu me senti ótimo e as condições eram perfeitas. Depois de algumas centenas de metros no couloir, uma bolsa de vento (suponho que recentemente criada a partir dos ventos da manhã) quebrou e fui carregado na avalanche por cerca de 50m. Fiquei em dúvida entre continuar ou dar a meia volta e decidi pela segunda opção. A descida foi interessante, com forte nevasca que me fez usar o recurso @corosglobal "back to start" acompanhando minha subida, já que a visibilidade era de 2-3m e minhas pistas estavam sob neve profunda.

Bem, um ótimo dia nas montanhas, onde tudo estava além da perfeição, exceto que não alcancei o cume.

Visite o link da NNormal para mais detalhes. [CLIQUE AQUI]

KILIAN JORNET

Mortes no Everest

Até o momento foram registradas 11 mortes e dois desaparecidos na temporada 2023 do Everest. A quarta temporada mais fatal, perdendo apenas para: 1996 com 15 mortes, 2015 com 15 mortes e 2014 com 17 mortes.

CAMINHANDO NA WEST RIDGE com o Everest e o Lhotse ao fundo - Sem cordas, sem pegadas, sem oxigênio
O trajeto que KILIAN JORNET fez durante 31 horas de atividade na West Ridge
VISUAL IMPRESSIONANTE DE KILIAN JORNET NO EVEREST. FOTO JULIEN RAI
KILIAN SEMPRE CARREGANDO POUCOS EQUIPAMENTOS. FOTO: JULIEN RAI KILIAN JORNET. FOTO: JULIEN RAI
 

23.05.2023 - 02:50 Brasil | 11:35 Nepal

Uma brasileira no cume do Everest

  Elias Luiz  
     

No sexto dia da trilha de aproximação do Everest, Carlos Santalena e equipe, após um chá da manhã, no melhor estilo nepalês, saíram para fazer um ciclo de aclimatação subindo ao cume da montanha Nangkartshang (5.083m), a mesma montanha que eu subi em 2010, junto com Santalena, na minha aclimatação para chegar ao Campo Base do Everest. O objetivo de Santalena e equipe desta vez era muito maior que o meu… o projeto deles era chegar ao cume do Everest.

Durante a subida do Nangkartshang, que tem uma ótima vista de frente para o Ama Dablam e com um lindo dia de céu azul, Santalena teve a grata surpresa de encontrar uma brasileira, era Cesalina Gracie, 32 anos, que disse que morava em Los Angeles e que estava na região com o objetivo de chegar ao cume do Everest, junto com a Elite Exped, agência do Nimsdai.

A maior supresa que os brasileiros tiveram durante a subida de aclimatação, foi quando ela disse:

– Essa é a montanha mais alta que eu já subi na vida [Nangkartshang 5.083m].

Mal sabiam, de fato, que entre eles, apenas ela chegaria ao topo do mundo nesta temporada. Em seu ataque ao cume, Santalena deu meia-volta, após a decisão da desistência do seu cliente. Mas para Décio Gomes, esse foi o seu grande feito: "Alcançamos incríveis 8.200 metros de altitude. Não alcançamos o cume de 8.848m. Mas a jornada foi genial!"

Essa marca de apenas 5.083m me chamou a atenção. Agora ela se tornou a 1ª brasileira a chegar ao topo do mundo, sem antes passar por diversas expedições de escaladas de montanhas de até 6.962m, como o Aconcágua ou outras mais baixas.

Cesalina Gracie, dona de uma fisico de atleta de Jiu-jítsu, procurou outros caminhos. Foi em busca do melhor treinador de desempenho que conhecia, o americano Mike McCastle. Após um exaustivo programa de 7 semanas de treinamento físico e mental, que de início Cesalina não tinha certeza que conseguiria cumprir, ao final dele disse:

– O que era “impossível”, se tornou leve. Vou mover montanhas no Nepal.

Para McCastle, isso era o resultado de pequenos esforços disciplinados, repetidos diariamente ao longo de todo treinamento: Autoconfiança, visão clara, compromisso e intenção focada.

Após os sherpas instalarem as cordas de segurança até o cume do Everest, no dia 13 de maio, Cesalina, de dentro de sua barraca no Campo Base do Everest, fez uma ligação de vídeo com o seu coach, e ele disse:

“Com as cordas para o cume finalmente definidas, centenas farão o esforço para chegar ao topo do mundo nos próximos dias. Entre eles, esta guerreira. Diante do maior desafio de sua vida, Cesalina Gracie é só sorrisos. Por que? Porque ela está aclimatada, forte, saudável, focada e confiante na sua preparação. Mal posso esperar para comemorar seu sucesso no cume e retorno seguro ao Acampamento Base com a Elite Exped.”

Mike McCastle

Nesses 18 anos de cobertura da temporada de escalada do Everest, Cesalina foi a única que não me atendeu depois de várias tentativas para dar a sua palavra ao público do Extremos, que já torciam pelo seu sucesso, ainda mais sendo a única mulher do grupo dos brasileiros. Eu gostei disso, mostrava o quanto ela estava determinada e focada. O que tornou a minha busca por informações de suas posições na montanha, uma tarefa árdua.

Quando eu já estava desistindo que colher informações do seu paradeiro, Mike McCastle, o seu coach, me encontrou no Instagram e me deu a informação que eu precisava: "ela está no Campo 4". Quase dois dias depois ele me salva novamente:

- Cesa atingiu o cume [do Everest] e voltou ao Campo 2.

Cesa estava escrevendo a sua própria história, não apenas a de chegar ao cume do Everest, mas sim, conquistar um sonho e um objetivo que traçou meses atrás. Que venham muitos outros.

Parabéns,
Elias Luiz

CESALINE GRACIE no cume do Everest, no dia 22 de maio, às 9h35, com o Lakpa Dendi Sherpa
CESALINA GRACIE no cume do Everest. CESALINA GRACIE na barraca com Lakpa Dendi Sherpa.
 
 
 

22.05.2023 - 16:40 Brasil | 01:35 Nepal

Descida dramática do Everest

  Elias Luiz  
     

Durante a descida do cume, Gabriel Tarso ficou sem oxigênio suplementar e passou mal, chegando a desmaiar. Mas conseguiram chegar ao Campo 4 e agora estão descendo em plena madrugada para o Campo 3. Pois quanto mais descer, melhor para o corpo se recuperar do mal da montanha.

Provavelmente Gabriel Tarso irá descansar um pouco no Campo 3 e descer para o Campo 2 e se for necessário será acionado o resgate de helicóptero.

Desta forma, Bernardo desistiu do Ataque ao Cume do Lhotse (Double-Header) e está no Campo 4 do Lhotse recolhendo todos os equipamentos de escalada, enquanto Tarso está descendo com o sherpa para o Campo 3 e em seguida Campo 2.

Equipe Grade6

Carlos Santalena, Décio Gomes, Murilo Vargas e Carlos Canellas desceram hoje do Campo 4 para o Campo 2 e estão bem. Amanhã descem para o Camo Base do Everest.

18:45 Brasil | 03:30 Nepal - Madrugada

Aparentemente Gabriel Tarso chegou ao Campo 3. O sinal está alguns metros acima, mas como ele já deve estar dentro da barraca, o sinal não chega mais para o satélite. Bernardo também já está no Campo 3.

19:40 Brasil | 05:25 Nepal - Estudo da descida

Fazendo um estudo da descida do Gabriel Tarso pelo GPS do seu Garmin, constatei alguns pontos onde houve uma demora maior, mas o principal deles é onde eu assinalei na imagem. Entre o Cume Sul e um ponto 85 metros abaixo, em perda de altimetria, ele levou 1h40 para descer. Pode ser aqui onde ele desmaiou. Isso é apenas uma análise.

Esse mesmo trecho, cinco dias atrás, o Roberto Terzini percorreu em 10 minutos.

23:00 Brasil | 07:45 Nepal - Ééééééé cuuuummeeeeeeee

A brasileira CESALINA GRACIE chegou ao cume do Everest e já está de volta ao Campo 2. Parabéns a ela e a toda família Gracie. Ainda preciso confirmar com ela o dia e horário do cume. Essa é uma notícia extra-oficial.

Mais notícias em breve

Imagem atualizada: 23h00
 

20/21.05.2023 - 22:55 Brasil | 07:40 Nepal

Brasileiros no Ataque ao Cume

  Elias Luiz  
     

Os brasileiros partiram por volta das 7:15 no horário local. Daqui praticamente 7 horas eles devem chegar ao Campo 4, por volta das 14h, onde irão descansar e às 20h partem para o Ataque ao Cume do Everest.

É difícil precisar se todos partiram juntos, ainda mais que estão em expedições e objetivos diferentes, como o Carlos Canellas (sem uso de O2). Mas esse é um horário normal de sair do Campo 3.

Link de rastreamento via satélite

Carlos Santalena
Bernardo Fonseca
Gabriel Tarso

Você gosta de montanhismo?

Pra quem gosta de montanhismo e ainda vai demorar até a próxima atualização dos brasileiros, aproveite e leia esse excelente artigo do montanhista, escritor e cineasta David Breasears: Cada um por si mesmo?
Publiquei ele exatamente por causa dos acontecimentos no Everest nos últimos dia, em que aconteceram vários resgates na montanha.

02:05 - Yellow Band

Brasileiros estão começando a atravessar a famosa Franja Amarela, exatamente as 10:45 no horário local.

02:15 - Cesaline Gracie

A rádio Khumbu, ou melhor dizendo, minha fonte extra-oficial informou que a Cesalina Gracie está na montanha há alguns dias (quando dizem isso, é que provavelmente ficou alguns dias de espera no Campo 2, o que acontece sempre)... e se tudo estiver correndo bem, ela tem previsão de cume para 21 ou 22 de maio. Na torcida por ela.

Estou há 18 anos fazendo cobertura do Everest e digo que nos últimos anos me acostumei e me acomodei a acompanhar os brasileiros pelo SPOT e Garmin, o que torna tudo mais fácil e instantâneo de localizar. Não sei como as esposas, mães e maridos deixam essa pessoal escalar sem um equipamento de rastreamento? Mas agora tive que voltar as raízes para localizar a Cesalina Gracie... e estou começando a colher frutos. Assim que eu tiver mais informações, trago para vocês. Digo isso porque até uns dois dias atrás, eu não sabia se ela estava no Campo 2 ou se estava em sua casa em Las Vegas. Ela praticamente não posta nada e a agência dela, Elite Exped, que deveria fazer esse trabalho, como a maioria das principais agencias, também não divulga nada.

05:05 - Geneva Spur

Brasileiros estão atravessando o Esporão Genebra. Logo chegarão ao Campo 4 onde entrarão para as suas barracas e tentarão dormir o máximo possível, pois por volta das 20h irão acordar e iniciar o Ataque ao Cume do Everest. Uma escalada de mais ou menos 12 horas até o cume, onde irão ficar por no máximo 45 minutos e terão mais quase 5 horas de descida até a volta ao Campo 4.

05:30 - 10ª morte no Everest

O australiano, Jason Bernard Kennison, de 40 anos, morreu próximo do Balbony (8.390m). Ele era engenheiro de mineração, fazia parte da expedição da agência Asian Trekking.

Há dois montanhistas desaparecidos acima dos acampamentos altos. O malaio, surdo e mudo, Hawari Bin Hashim, de 33 anos, desapareceu desde 18 de maio, quando chegou ao Campo 4, de volta do cume. Enquanto Shrinivas Sainis Dattatraya, um montanhista indiano de Cingapura, desapareceu a 8.500m no Monte Everest. Shrinivas supostamente caiu de 8.500 para o lado tibetano. Esforços estão em andamento para procurar o alpinista desaparecido, disseram os organizadores da expedição.

05:40 - Cesalina Gracie

Segundo minhas fontes, Cesalina Gracie está no Campo 4 (8.000m) e deve fazer o Ataque ao Cume junto com os outros brasileiros. Que notícia fantástica.

08:40 - Os 7 brasileiros

Os sete brasileiros estão no Campo 4 (8.000m) descansando. Por vola das 11h da manhã do horário de Brasília, eles partem para o Ataque ao Cume, onde devem chegar depois de 12 horas de escalada, que será aproximadamente 23h no horário de Brasília e 8h da manhã no Nepal.

A título de registro e observação com os horários anteriores, Gabriel Tarso e Bernardo Fonseca chegaram ao Campo 4 às 5h30 do horário de Brasília (14h15 - Nepal).

Quando o primeiro brasileiro sair para o Ataque ao Cume, farei a aferição dos horários seguintes, que por enquanto estão os horários do Roberto Terzini do Campo 4 ao Cume.

Os brasileiros no Colo Sul (Campo 4) são: Cesalina Gracie, Carlos Canellas, Murilo Vargas, Décio Gomes, Carlos Santalena, Gabriel tarso e Bernado Fonseca.

16:05 - Ataque ao cume

Os brasileiros partiram para o Ataque ao Cume do Everest.

17:00 - Santalena e equipe

• O equipamento de SPOT do Santalena não está 100%, por isso ele só tem ligado nos principais pontos. Carlão informou que pretende sair mais tarde, por volta das 23h até 1h da madrugada. Carlos Canellas pretende sair ainda mais tarde. Essas são as informações que ele passou do Campo 4.

Agora aqui vai as minhas análises, para reforçar, são apenas minhas. Carlão pode ter escolhido um horário mais tarde para tentar fugir das filas. Mas por outro lado, chegará tarde no cume. Por volta das 11h da manhã. O aceitável é que a chegada ao cume seja até as 12h30, para terem segurança de descer com a luz do dia até o Campo 4, mais fácil visualmente e mais quente.

Carlos Canellas pode ter optado por sair mais tarde, pois assim o sol aparecerá para ele com menos tempo de escalada. Ele não está usando oxigênio suplementar, o que normalmente é muito mais desgastante para escalar e também a pessoa sente mais frio. Desta forma ele deve pegar o nascer do sol entre o Balcony e o Cume Sul, mas isso são apenas pensamentos de que tem está no conforto dos 22ºC de Campinas. Na torcida por eles.

Por isso deixarei em suspensão a progressão do Carlos Santalena, Décio Gomes e Murilo Vargas, pois só teremos confirmação via rádio.

• Também deixarei em suspensão a Cesalina Gracie, pois ela aparentemente não estão usando aparelho de rastreamento, mesmo sabendo que ela pode estar no mesmo ritmo do Bernardo e Tarso. Só teremos confirmação de sua chegada ao cume via rádio.

• Assim seguimos normalmente com Bernardo e Tarso, com o Garmin dos dois funcionando normalmente. Eles estão bem próximo do Balcony.

18:57 - Subindo

Bernardo e Tarso estão a 8.523m, com 8 horas de escalada desde a saída do Campo 4 (8.000m).

20:30 - Próximos do Cume Sul

Os brasileiros Bernardo e Tarso estão se aproximando do Cume Sul. Horário previsto de chegada ao cume do Everest será por volta das 23h, no horário de Brasília.

21:21 - Desistências

Brasileiros da equipe Grade 6 desistem do cume:

“O Monte Everest é um testemunho poderoso de que a natureza é soberana. Alcançamos incríveis 8.200 metros de altitude. Não alcançamos o cume de 8.848m. Mas a jornada foi genial! Valorizamos cada momento, pois fomos guiados pela “ousadia com responsabilidade”. Diante das adversidades, nossa equipe demonstrou resiliência e manteve o foco em alcançar nosso primeiro objetivo: chegar ao topo do Monte Everest. Agora, é hora de cumprir nosso segundo objetivo: voltar pra casa pra contar história. Todos estão bem e descansando!”

GRUPO DVG

22:16 - Uma hora pro cume

Bernardo e Tarso chegaram ao Escalão Hillary. Uma hora para o cume.

23:33 - Ééééééé cccuuuuuummmmeeeee

Bernardo Fonseca é o 35º brasileiro a chegar ao cume do Everest. Gabriel Tarso chegou pela 3ª vez (2021, 2022, 2023), alcançando os feitos de Rodrigo Raineri (2008, 2011, 2013) e Carlos Santalena (2011, 2016, 2018). Parabéns e boa descida ao Campo 4.

Imagem atualizada: 22h33
 

20.05.2023 - 04:50 Brasil | 13:35 Nepal - atualizado: 12:37

Campo 3

  Elias Luiz  
     

Bernardo e Tarso estão no Campo 3 (7.200m).

Equipe Grade6

Carlos Santalena, Décio Gomes e Murilo Vargas já estão no Campo 3.

Carlos Canellas também está no Campo 3. Ele está fazendo a escalada do Everest sem o uso de oxigênio suplementar, o que é muito mais difícil. Quando você usa oxigênio suplementar, o seu corpo esquenta e ajuda a enfrentar o frio, além de dar mais força e disposição para escalar, atenuando bastante os efeitos da altitude.

Dos quase 1.000 montanhistas (sherpas e estrangeiros) que estão escalando o Everest neste ano, menos de 10 pessoas estão escalando sem o uso de oxigênio suplementar. O nível de dificuldade é muito maior.

Cesalina Gracie

Quanto a Cesalina... só por Deus. Nimsdai tem o nosso respeito quanto aos feitos nos 14x8.000m... mas como dono de agência, ainda falta muito. Nenhuma informação é passada de seus clientes. Estamos tentando obter informações dela.

Terzini

Expedição encerrada de Roberto Terzini. Hoje de manhã ele voou de helicóptero para Katmandu, onde já está no conforto de um hotel e postando as suas imagens de cume. Fiquem ligados em seu Instagram. Por isso você não está mais vendo o avatar colorido dele no infográfico da cobertura. O avatar em preto & branco significa em cada ciclo o ponto mais alto que ele chegou.

“Em uma noite mais fria e com mais vento do que o previsto, com sensação térmica abaixo dos -40ºC e absolutamente tudo congelando (desde água dentro da garrafa térmica, eletrônicos e infelizmente as máscaras de oxigênio minha e do Sherpa...), eu confesso que minha sensação sentado lá em cima não era de felicidade, mas de medo, distância de todos que amo e uma vontade enorme de sair dali o mais rápido possível. Foi a noite mais difícil de toda minha jornada com montanhismo e vendo depois a quantidade de pessoas com congelamento nos dedo da mão/pé/face, fica claro que não foi uma noite ideal de janela de cume. Estávamos no topo cedo, com mais cinco pessoas, por termos conseguido passar mais de 40 pessoas ao longo das 12 horas de escalada. Na hora de ir embora, existia uma fila enorme de pessoas subindo. Nem todo sonho realizado vem sem seus desafios também.”

“A importância de se desafiar: O 17 de Maio de 2023 vai ficar marcado na minha vida. Não só pelo sonho de estar no topo do mundo, mas também pela sensação de ter se proposto fazer algo que parecia impossível pra mim uma década atrás e depois de muitas lágrimas, sangue, suor, esforço, suporte das pessoas em volta e dedicação ter vivido tudo isso. E pra tornar tudo mais especial, que lindo ver o quanto pessoas queridas de minhas muitas fases de vida (e aquelas que nunca conheci!) se envolveram nessa jornada junto comigo - obrigado! O carinho recebido por todo mundo vai ficar marcado na memória.
Extremos, a quantidade de elogios que ouvi sobre sua cobertura também não cabe aqui! Obrigado por tudo que você faz pra elevar o montanhismo brasileiro! ”

Roberto Terzini, direto de Katmandu

NO NEPAL O CUME será na segunda-feira de manhã. No Brasil, domingo a noite... mas eu já estou começando.
ROBERTO TERZINI no cume do Everest, com a bandeira do seu projeto de escalada.
 

18/19.05.2023 - 22:20 Brasil | 07:05 Nepal - Atualizado: 10h50 Brazil

Cronogramas e links

  Elias Luiz  
     

Estou passando para vocês o cronograma dos brasileiros para os próximos dias. Esse é o planejado, mas pode acontecer mudanças a qualquer momento e se isso acontecer informarei aqui na cobertura. Segue também o link de rastreamento dos motanhistas que estão usando sistema de rastreamento via satélite da Garmin e da SPOT.

Ainda não tenho informações precisas da Cesalina Gracie. Ela está no segundo grupo da Elite Expedit (Nimsdai) e o cronograma dela não deve ser diferente destes abaixo.

Roberto Terzini já está de volta ao Campo Base.

Cronograma: Carlos Santalena, Décio Gomes e Murilo Vargas. Carlos Canellas

• 17.maio: EBC - C1
• 18.maio: C1 - C2
• 19.maio: C2 (hoje)
• 20.maio: C2 - C3
• 21.maio: C3 - C4...
• 22.maio: ...Cume do Everest - C4
• 23.maio: C4 - C2
• 24.maio: C2- EBC

Cronograma: Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso

• 18.maio: EBC - C2
• 19.maio: C2 (hoje)
• 20.maio: C2 - C3
• 21.maio: C3 - C4...
• 22.maio: ...Cume do Everest - C4 do Lhotse
• 23.maio: C4 do Lhotse - Cume do Lhotse - C2
• 24.maio: C2- EBC

Link de rastreamento via satélite

Carlos Santalena
Bernardo Fonseca
Gabriel Tarso
Roberto Terzini

9ª morte no Everest

O policial da Malásia, Ag Askandar Bin Ampuan Yaacub, passou mal no Cume Sul (8.686m) e foi auxiliado por uma equipe de socorristas a descer para o Campo 4, onde acabou falecendo. Agora os esforços estão sendo para levar o corpo para o Campo , onde poderá ser trasnportado de helicóptero para Katmandu. Nossos sentimentos aos familiares.

O fotógrafo estava descendo do cume do Everest. É possível ver ao fundo, na névoa, o pico do Lhotse e a canaleta. Foto: Tendi Sherpa
 

18.05.2023 - 08:40 Brasil | 17:25 Nepal

Ciclo de Cume e mortes

  Elias Luiz  
     

A grande notícia do dia é que Carlos Canellas iniciou o seu Ciclo de Cume, subindo do Campo Base (5.350m) até o Campo 2 (6.400m) em apenas 8h. Canellas está escalando sem o uso de oxigênio suplementar. Toda a nossa a torcida para ele.

Terzini

Após chegar ao cume do Lhotse e completar o inédito double-reader entre os brasileiros, Roberto Terzini chegou em segurança ao Campo 2, onde irá dormir essa noite e amanhã desce para o Campo Base do Everest.

Equipe Grade 6

Carlos Santalena, Décio Gomes e Murilo Vargas estão em Ciclo de Cume e chegaram hoje ao Campo 2, onde devem dormir pelo menos duas noites.

Bernardo e Tarso

Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso subiram hoje do Campo Base do Everest direto para o Campo 2, em seu Ciclo de Cume.

Cesalina Gracie

Ainda não temos informações da posição da Cesalina. Ela faz parte da agência do Nimsdai e ele não costuma divulgar muitas informações dos seus clientes. Estamos em contato com os outros brasileiros para tentar localizar a posição dela na montanha.

7ª e 8ª morte

• Confirmada a 7ª morte na temporada no Everest. Suzanne Leopoldina Jesus, uma montanhista indiana passou mal no Campo Base do Everest e foi socorrida e levada para Lukla, onde acabou falecendo.
• A montanhista chinesa, Xuebin Chen, 52 anos, morreu no Cume Sul (8000m), ela era cliente da agência 8K Expedition. Informações iniciais disseram que ele estava tentando trocar seus óculos e descartando o seu cilindro de oxigênio na Zona da Morte. "Então, ele caiu", disseram fontes.
• Outros dois escaladores - um chinês e outro mongol - estão sendo resgatados da área da Varanda (Balcony). Uma equipe de sherpas resgatistas da 8K Expedition estava se esforçando para baixá-los em segurança.

FOTO ATUALIZADA - 00:10
 

16/17.05.2023 - 13:10 Brasil | 21:55 Nepal

Ataque ao Cume

  Elias Luiz  
     

Começou o Ataque ao Cume do brasileiro Roberto Terzini. Em verde é a estimativa com o horário de Brasilia que irei aferindo a cada ponto que ele passar. Ele saiu do Campo 4 (8.000m) às 19:30 (10:45 horário de Brasília).

Às 10:13 no horário de Brasília, Roberto me enviou a seguinte mensagem: "Vamos que vamo! Saindo em 40 minutos!"

Farei a primeira aferição do tempo quando ele chegar no Balcony (8.380m). Normalmente este é um ponto de parada de descanso e troca de cilindro de oxigênio. Os sherpas também costumam deixar um cilindro de oxigênio no Balcony, para ser usado na descida. A escalada está sendo durante a noite e com temperatura de -23ºC.

15:15 - Sherpa morre na Yellow Band

Phurba Sherpa, do distrito de Sankhuwasabha, morreu próximo da Franja Amarela. Ele fazia parte da equipe de limpeza do Everest e estava descendo depois de ter feito o cume. Nossas condolências aos familiares. Essa é a quinta morte na temporada 2023.

16:50 - Balcony

Roberto Terzini chegou no Balcony. Ele deve descansar um pouco e trocar o cilindro de oxigênio suplementar. Esse primeiro trecho ele fez em 5h45, desde o Campo 4. Acredito que ele vai levar mais 4h30 para chegar ao Cume Sul.

19:12 - Oxigênio é vida

Normalmente depois que sai do Balcony, o montanhista tem um ritmo melhor, pois descansou um pouco e está com um cilindro novo de oxigênio, que as vezes você pode aumentar um pouco mais a vazão para ter mais energia e o corpo esquentar um pouco mais na fria madrugada. Nesse momento o que ele mais quer é ver o sol nascer e o clima esquentar um pouco, o que da mais ânimo para a reta final.

21:00 - Cume Sul

Como você já deve imaginar, o Cume Sul leva esse nome porque os primeiros montanhistas que tentaram escalar o Everest, quando via esse topo enquanto subia a montanha, achavam que era o cume, mas deste ponto ainda faltam quase duas horas para chegar ao cume. Já é possível ver bem próximo o famoso Hilary Step e o cume verdadeiro acima. As fotos do Cume Sul são sempre espetaculares.

21:50 - Hilary Step

Cruzando o Escalão Hillary. A partir daqui é uma subida mais tranquila até o cume. Mas o que é tranquilo acima de 8.800m? O que é tranquilo depois de 11 horas de escalada desde o Campo 4? FALTA POUCO.

22:35 - Éééééé cuuuuummmeeeeee

Roberto Terzini chegou ao cume do Everest (8.848m), tornando-se o 34º brasileiro a chegar ao Topo do Mundo. Parabéns ao Roberto, a sua esposa Ilana e a todos familiares, amigos e a toda galera que acompanhou com o coração na mão mais essa Cobertura do Everest. Roberto deve descansar e fazer fotos durante 45 minutos e logo começará a descer. Até o Campo 4 são mais 4h ou 5h de descida. PARABÉNS! - Acompanhe pelo Garmin.

00:05 - Alpinista da Moldávia morreu no Campo 4

Victor Brinza, da Moldávia, morreu no Campo 4 do Everest nesta manhã. Esforços estão em andamento para levar o seu corpo para katmandu. Nossos sentimentos aos familires.

00:10 - Novo recorde

O alpinista e guia britânico, Kenton Cool, chegou ao cume do Everest pela 17ª vez, quebrando o recorde que já era seu de extrangeiro que mais chegou ao topo do mundo. Ele estava guiando o CEO da Iceland Foods, Richard Walker.

00:54 - Esse sim é recordista

O sherpa Kami Rita, 53 anos, chegou pela 27ª vez ao cume do Everest, retomando o seu recorde, que havia sido alcançado dias atrás quando Pasang Dawa Sherpa chegou ao cume do Everest pela 26ª vez.

07:16 - Roberto Terzini no Campo 4

Roberto Terzini está de volta ao Campo 4.

11:10 - One Morte Thing

Como dizia Steve Jobs no final de suas apresentações de produtos, quando iria mostrar mais uma novidade: “One more thing” - (mais uma coisa). Roberto Terzini disse que está bem super bem no Campo 4, um pouco cansado, mas conseguiu dormir bem e se recuperar. A meia-noite no horário local (15h15 Brasília) desce e vai tentar escalar o Lhotse. Se conseguir, será o primeiro brasileiro a completar o Double-Header – a escalada do Everest e Lhotse em menos de 24 horas. Lá vamos nós torcer, sofrer e acompanhar novamente. Vamos nessa!

14:25 - Lhotse, a quarta montanha mais alta do mundo

O nome Lhotse vem da palavra Tibetana Lho que significa Sul e Tse que significa Pico, assim Lhotse significa Pico Sul (do Everest). É a quarta montanha mais alta do planeta com 8.156m de altitude ao nível do mar. Foi escalado pela primeira vez em 18 de maio de 1956, pelos suiços Ernest Reiss e Fritz Luchsinger.

16:56 - Na espera

Estamos aguardando confirmação para saber se o Roberto Terzini esqueceu de ligar o Garmain ou se mudou o horário de saída ou ainda se desistiu da escalada do Lhotse. Em breve mais informações.

17:42 - Agora vai

Finalmente começou a andar a seta azul (Garmin). Roberto Terzini saiu às 2:00 da madrugada do Campo 4. Já ajustei os horários seguintes e quando ele chegar no Campo 4 do Lhotse, farei uma nova aferição do seu pace. Vamos ver a próxima atualização Garmin se está tudo certo mesmo… pelo visto hoje iremos madrugada adrento… haja Red Bull

19:00 - Agora é só subida

Roberto Terzini acabou de passar pelo Campo 4 do Lhotse, até aqui foi praticamente descida… agora vem a subida rumo a canaleta do Lhotse. Fiz nova aferição de horário de cume. Na torcida.

21:52 - Agora é só subida

Roberto Terzini está neste momento a 8.100m. O Lhotse tem 8.516m. Ele está se aproximando da Canaleta do Lhotse, onde a escala será mais técnica. Na torcida.

23:40 - Dentro da Canaleta do Lhotse

Roberto Terzini está dentro da Canaleta do Lhotse. Normalmente o sinal do seu Garmin não consegue sair e chegar ao satélite. Por isso está tanto tempo parado e sem atualização lá no Garmin (link no stories). Aqui na arte eu fiz a simulação de onde ele está neste momento. A próxima atualização será quando ele sair da canaleta e chegar no alto da montanha, com céu aberto (eu vi isso acontecer quando o Carlos Santalena escalou o Lhotse anos atrás). Veja que ainda não estará no cume, faltará ainda um pouco menos de uma hora de escala até o final.

00:10 - Éééééé cuuumeeee do Lhotse

Roberto Terzini acaba de se tornar o 1º brasileiro a escalar o Everest e Lhotse, o famoso double-header. Essa é uma informação extra-oficial e iremos confirmar com a agência dele… mas isso leva um tempo ainda. Parabéns pelo grande feito.

FOTO ATUALIZADA - 00:10
 

15/16.05.2023 - 17:35 Brasil | 02:20 Nepal

Explorador

  Elias Luiz  
     

O alpinista italiano Simone Moro, encontrou novamente com o espanhol Kilian Jornet, que pela foto devem estar em Periche. Simone postou a seguinte mensagem em seu instagram:

“À comunidade de entusiastas de alta montanha. Há os que perseguem recordes, os que procuram a fama, os que perseguem a sua aventura pessoal e os que procuram novos amigos e companheiros para futuras viagens. Depois, há aqueles (0,1%) que ainda tentam explorar e escrever páginas de montanhismo autêntico sem qualquer ajuda externa. Todos nós temos o direito de escalar e nos alegrar com o que fizemos. Somos todos chamados a viver juntos em paz, em alegria e a dizer até ao fim não só o que fizemos e subimos mas também como o fizemos, em termos de estilo, ajuda tecnológica e humana. Entre tantos que conheci nos últimos meses no Nepal, Kilian Jornet no momento é o único que eu chamaria de Explorer neste 2023 no Everest. A celebração dos 70 anos desde a primeira ascensão [do Everest] tem nele, a meu ver, a verdadeira estrela.”

Simone Moro

23:00 - Roberto Terzini

Roberto saiu do Campo 3 para o Campo 4 do Everest.

23:31 - Roberto Terzini

Roberto está se aproximando da Franja Amarela (Yellow Band).
Acompanhe direto pelo Garmin.

07:43 - Roberto Terzini

Roberto chegou no Campo 4 (8.000m) por volta das 14h, no horário do Nepal. Agora ele provavelmente deve estar dormindo e entre 20h a 22h (no horário local) ele dará início ao Ataque ao Cume. Que consiste em uma escalada contínua de 10h 12h. Ele deve fazer cume por volta das 8h da manhã do dia 17 de maio no horário local. Para nós aqui no Brasil, será por volta das 23h desta terça-feira. Fiquem ligados.
Acompanhe direto pelo Garmin.

“Cheguei bem no Campo 4, agora é descansar! Estava com um pouco de trânsito. Deve ter umas 100 pessoas subindo, surreal. Não dava nem pra passar direito a galera.”

Roberto Terzini, direto do Campo 4 (8.000m)

ROBERTO TERZINI no Campo 4 (8.000m).
SIMONE MORO com Kilian Jornet (jaqueta preta).
 

15.05.2023 - 00:01 Brasil | 07:35 Nepal

Rumo ao Campo 3

  Elias Luiz  
     

Roberto Terzini começou a sua subida rumo ao Campo 3. Neste momento está fazendo a aproximação da parede do Lhotse. O percurso hoje deve durar entre 5h a 7h.

A subida da parede do Lhotse é feita encordado e tem uma variação de 40º até 80º de inclinação. Roberto Terzini havia relatado semanas atrás que a parede estava com pouco neve e a caminhada era feita em gelo vitrificado, utilizando sempre a ponta dos crampons para fixar ao gelo e ter apoio para subir. Chegando em sua barraca no Campo 3 (7.200m), Roberto começará a utilizar oxigênio suplementar, inclusive irá dormir com ele. A partir desde momento os alpinistas só deixam de usar oxigênio suplementar na volta, quando estão descendo do Campo 4 para o Campo3. Esse é o cronograma dele:

• 12.05.2023: EBC - C2
• 13.05.2023: C2
• 14.05.2023: C2
• 15.05.2023: C2 - C3 (hoje)
• 16.05.2023: C3-C4...
• 17.05.2023: ...Cume do Everest - C4
• 18.05.2023: C4 - Cume do Lhotse - C2
• 19.05.2023: C2- EBC

Mais cumes

Espera-se alguns cumes nos próximos minutos. Lembrando que no horário do Brasil, os cumes costumam acontecer entre às 23h até 3h da madrugada, em dias com muitos alpinistas escalando. Hoje devemos ter mais ou menos 10 cumes. No horário do Nepal eles costumam chegar ao cume entre 7h até às 11h. Em dias com mais de 150 alpinistas escalando, esse tempo pode se alongar.

Existe uma regra não escrita no Everest, que o horário limite de cume é às 12h, em últimos casos, mas já correndo riscos, 13h. Pois o alpinista ainda tem aproximadamente 5h para descer até o Campo 4, aproveitando ainda a segurança e o calor da luz do dia.

Os brasileiros

• Bernardo e Tarso desceram ainda mais, para Periche, buscando se recuperar da gripe.
• Santalena e equipe deve iniciar o Ciclo de Cume no dia 17 de maio.
• Cesalina Gracie está bem e se exercitando no Campo Base:

“Nas montanhas, as pequenas coisas são grandes coisas. É assim na vida... muitas vezes não percebemos isso. Esta viagem me reconectou com a magia de cada pequena coisa que acontece em mim. Que presente!”

Cesalina Gracie

04:15 - Terzini no Campo 3

Roberto Terzini chegou bem ao Campo 3. Hoje ele vai dormir usando oxigênio suplementar e amanhã cedo sobe para o Campo 4.

09:03 - Cume no Lhotse

Três sherpas da Imagine Nepal abriram a rota até o cume do Lhotse. Dawa Tenjin Sherpa, Pasang Namgyal Sherpa e Tamting Sherpa chegaram ao cume às 12h50 desta segunda-feira. Agora a rota está aberta para outros monstanhistas subirem em segurança.

10:12 - Prefeito abandona

Richard Bailey, prefeito de Coronado, California, desistiu do Ciclo de Cume após sintomas de covid-19. Ele já está se preparando para retornar aos Estados Unidos.

 
A 1ª FOTO DO CUME da temporada. Os sherpas da agência Imagine Nepal, comemorando a instalação das cordas até o cume do Everest, no sábado dia 13 de maio.
 

14.05.2023 - 00:00 Brasil | 08:45 Nepal

Mais uma noite

  Elias Luiz  
     

Roberto Terzini acabou de me enviar uma mensagem direto do Campo 2 (6.400m), dizendo que a previsão do tempo mudou um pouco e por isso irão descansar mais um dia no Campo 2. O seu cronograma passa a ser esse:

• 12.05.2023: EBC - C2
• 13.05.2023: C2
• 14.05.2023: C2
• 15.05.2023: C2 - C3
• 16.05.2023: C3-C4...
• 17.05.2023: ...Cume do Everest - C4
• 18.05.2023: C4 - Cume do Lhotse - C2
• 19.05.2023: C2- EBC

Nimsdai

Nimsdai, da Elite Exped partiu com clientes de "alto perfil" para os campos altos. Ele está liderando o prefeito de Coronado/California, e o representante da SpaceX, Tyler Carnevale, que deve fazer uma transmissão ao vivo do cume usando os equipamentos da Starlink.
PS: O prefeito tirou 40 dias de férias ou disse aos eleitores que está de quarentena no Everest?

00:01 - A primeira, depois dos sherpas

A montanhista paquistanesa, Naila Kiani, tornou-se a primeira estrangeira a escalar o Everest em 2023. Ela chegou ao cume às 8:02 (agora são 8h45 no Nepal), junto com Pasang Temba Sherpa. Naila é uma banqueira paquistanesa de Dubai e mãe de duas filhas.

00:30 - Ela venceu o câncer e o Everest

A americana Jessica Rae Wedel, tornou-se a segunda estrangeira a escalar o Everest em 2023, chegou ao cume às 08:32, junto com Ang Mingma Sherpa. Ela é sobrevivente do Câncer no Ovário e nós a acompanhamos desde sua primeira tentativa de escalar o Everest em 2021. Parabéns Wedel!

01:26 - Briga de gigantes

Pasang Dawa Sherpa chegou ao cume do Everest pela 26ª vez, igualando o recorde de Kami Rita Sherpa, que dentro de alguns dias também deve escalar o Everest e assim retomar o recorde.

Dawa chegou ao cume do Everest em: 1998, 1999, 2003, 2004, 2x em 2006, 2x em 2007, 2008, 2009, 2x em 2010, 2011, 2012, 2x em 2013, 2016, 2017, 2x em 2018, 2x em 2019 e 2x em 2022.

“Pasang Dawa é a jóia escondida dos escaladores nepaleses. Ele nasceu em Pangboche, que fica perto do Everest e cresceu vendo o Everest todos os dias. Ele chegou ao cume do Monte Everest 26 vezes hoje”

Mingma Gyalje

 

NAILA KIANI, A primeira alpinista internacional a chegar ao cume do Everest, em 2023.
JESSICA WEDEL, veceu o câncer e o Everest. Foto de arquivo.
PASANG DAWA SHERPA, no cume do Everest em foto de arquivo.
 

13.05.2023 - 05:36 Brasil

Cordas no Cume

  Elias Luiz  
     

Os sherpas da agência Imagine Nepal chegaram ao cume do Everest, finalizando a instalação das cordas e abrindo caminho para que todos os alpinistas agora possam fazer o ataque ao cume em segurança.

Com a coordenação de Mingma G (no Campo Base), uma equipe de 9 sherpas chegaram ao cume do Everest às 13h52. São eles:

1. Dawa Gyalje Sherpa - Líder - Rolwaling
2. Ngima Nuru Sherpa - Thame
3. Lakpa Sherpa (Lakpa Sona) - Thame
4. Dipen Gurung - Sankhuwasabha
5. Pasang Ngima Sherpa - Phortse
6. Lhakpa Tenjing Sherpa - Thame
7. Phur Galjen Sherpa - Thame
8. Dawa (da) Jangbu Sherpa - Thame
9. Suman Gurung - Gorkha (fotógrafo)

Os brasileiros

• Roberto Terzini chegou bem no Campo 2 e neste sábado terá um dia de descanso.
• Carlos Santalena e equipe fizeram treinamento com cilindro de oxigênio, na base.
• Santalena com planos para chegar ao cume no dia 24 de maio.
• Bernardo e Tarso desceram para Lobuche para tentar se recuperar de uma gripe.
• Cesalina Gracie postou uma foto e disse que está na espera do Ciclo de Cume.
• Canellas está de volta ao Campo Base, após atingir 7.800m neste ciclo:

“Canellas saiu do Campo 3 (7.200m) e às 6h chegou a 7.800m da Yellowband [Franja Amarela], como o previsto, retornou ao Campo 2 (6.400m) ao final da tarde. Está bem e descansando, [de volta] no Campo Base (5.340m). O dia estava intenso, com ventos fortes é sempre muito cansativo este trajeto, uma conquista muito importante para tentativa final.”

Equipe Grade 6

Equipe de Sherpas que concluiram a instalação das cordas até o cume. Eles foram coordenados direto do Campo Base pelo Mingma G.
Foto de CESALINA GRACIE com a vista de um lindo dia no Campo Base. CARLÃO, Murilo e Décio em treinamento do uso do cilindro de oxigênio.
 

12.05.2023 - 01:06 Brasil

Começou o Ciclo de Cume

  Elias Luiz  
     

Começou o Ciclo de Cume do Roberto Terzini. Hoje o seu objetivo é chegar ao Campo 2. Esse é o link do rastreamento via Garmin. A sua programação é essa:

• 12.05.2023: EBC - C2
• 13.05.2023: C2
• 14.05.2023: C2 - C3
• 15.05.2023: C3-C4...
• 16.05.2023: ...Cume do Everest - C4
• 17.05.2023: C4 - Cume do Lhotse - C2
• 18.05.2023: C2- EBC

As cordas e os brasileiros

Mingma G disse que uma equipe de sherpas tentará a instalação das cordas até o cume entre os dias 13 e 14 de maio. Após essa data todas as agências estarão autorizadas a fazerem o Ataque ao Cume. Com isso em mente, a agência Climbing The Seven Summits, do Roberto Terzini, já se adiantou e está levando o seu grupo para os acampamentos altos, assim farão o ataque ao cume com início na noite do dia 15 e chegando ao cume na manhã no dia 16 de maio.

As agências estão conversando entre si para tentar distribuir melhor os dias de ataque ao cume. A previsão é que essa janela de bom tempo dure de 13 a 19 de maio e espera-se para esses dias 200 pessoas fazendo o Ataque ao Cume. Eu acredito que esse número será maior.

Carlos Canellas que hoje tentará chegar ao Campo 4, só deve fazer o ataque ao cume na próxima janela, mais para o final de maio, na tentativa de pegar um clima mais estável e com menos congestionamento, o que é primordial para o sua tentativa de escalar o Everest sem o uso de oxigênio suplementar.

Os outros brasileiros podem aproveitar essa primeira janela de cume, tudo depende de como está a saúde de cada um.

Atualizado 19:55

Quatro sherpas da Imagine Nepal Treks, fizeram nesta sexta-feira a instalação das cordas até o Balcony (8.380m). Mais seis sherpas estão subindo do Campo 4 para o Balcony, para completar a equipe e juntos farão a instalação das cordas até o cume, neste sábado, dia 13 de maio.

Os ventos ainda estão fortes, mas os sherpas estão comprometidos em finalizar o trabalho e assim liberar o cume para que todas as agências possam concluir a escalada com segurança. Os sherpas que estão trabalhando na fixação das cordas são: (o nome do sherpa seguido do vilarejo/região em que mora)

1. Dawa Gyalje Sherpa - Líder - Rolwaling
2. Ngima Nuru Sherpa - Thame
3. Lakpa Sherpa (Lakpa Sona) - Thame
4. Dipen Gurung - Sankhuwasabha
5. Pasang Ngima Sherpa - Phortse
6. Lhakpa Tenjing Sherpa - Thame
7. Phur Galjen Sherpa - Thame
8. Dawa (da) Jangbu Sherpa - Thame
9. Suman Gurung - Gorkha (fotógrafo)
10. Mingma G - Coordenador (Campo base)

 
OS SHERPAS chegaram hoje com a instalação das cordas no Balcony (8.380m)
 

 

11.05.2023 - 12:10 Brasil

Ciclo de Cume chegando

  Elias Luiz  
     

Semana que vem começa o Ataque ao Cume do Everest. Compartilhe com seus amigos e familiares e acompanhem a fase final da escalada do Everest.

Na imagem abaixo eu explico o tempo entre um acampamento e outro. Os montanhistas partem com Campo 4 entre 20h e 22h rumo ao cume. Eu simulei um montanhista partindo às 22h e mostrando que horário ela vai chegar e quanto tempo leva. Claro que esse tempo é uma média.

Carlos Canellas

Canellas vai escalar o Everest sem o uso de oxigênio suplementar, por isso está fazendo um 3º Ciclo de Aclimatação, para o seu corpo se adaptar melhor aos efeitos da altitude. Neste momento ele está no Campo 3 (7.200m) onde irá dormir essa noite. Amanhã ele pretende subir o máximo possível, tocando o Campo 4 (8.000m) ou até o Esporão Genebra (7.900m) e descendo direto para o Campo 2 (6.400m). Normalmente no Campo 3 (7.200m) os alpinistas já começam a usar o cilindro de oxigênio, para não sofrer com os efeitos da altitude, o contrário do que o Canellas está fazendo.
Essa é a sua programação do 3º Ciclo:

• 09.05.2023: EBC - C2
• 10.05.2023: C2
• 11.05.2023: C2 - C3 (hoje ele está aqui)
• 12.05.2023: C3-C4-C2
• 13.05.2023: C2 - EBC

Gripe

Muitos alpinistas pegaram gripe nos últimos dias no Campo Base. Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso estão se medicando para se recuperarem o mais rápido possível, pois devem aproveitar uma segunda janela de cume.

No Everest ER, a clínica médica voluntária do Acampamento Base do Everest, eles relatam ter atendido mais de 350 pacientes, principalmente para a Tosse Khumbu. O relatório deles:

“Algumas estatísticas da nossa equipe do Everest ER: desde a abertura da temporada tivemos mais de 350 visitas de pacientes. A maioria dos nossos pacientes, como esperado (70%), é nepalês. Seguindo a tendência dos últimos 20 anos, a queixa número 1 de nossos pacientes é doença respiratória, e nossos diagnósticos incluem tosse de alta altitude, infecção respiratória viral, pneumonia, bronquite, HAPE, asma, entre outros. Hemorróidas e lesões ortopédicas completam o top 3. Nós evacuamos ou participamos da evacuação de 7 pacientes. À medida que as equipes se aclimatam mais e se preparam para as ofertas de cúpula, faremos o nosso melhor para mantê-las em boa forma para a subida.”

Equipe Everest ER

O EVEREST ER é uma clínica médica sazonal baseada em tendas no acampamento base do Everest (5.350m) fundada em 2003 pelo Dra. Luanne Freer, médica voluntária da Associação de Resgate do Himalaia (HRA) sem fins lucrativos no Nepal e Diretora Médica Associada da Medcor, Inc. Médicos voluntários fornecem cuidados de saúde, experientes em altitude e educação preventiva à comunidade de escalada, sua equipe de apoio e o público de trekking no acampamento base, usando os rendimentos desses cuidados para subsidiar cuidados de saúde gratuitos/de baixo custo para o povo Sherpa da região de Khumbu, no Nepal.

 

Kilian Jornet

Kilian fez mais um ciclo de aclimatação, onde divulgou um vídeo na Cascata de Gelo e foi fotografado pelo Mingma G à caminho do Campo 2. Kilian não informou qual a altitude máxima que chegou neste ciclo. Lembrando que ele irá escalar o Everest e Lhotse sem o uso de oxigênio suplementar.

Roberto Terzini

Roberto acaba de anunciar o seu Ciclo de Cume (CC). Nos primeiros minutos do dia 12 (nessa madrugada) , sua equipe parte do Campo Base. Essa é a programação:

• 12.05.2023: EBC - C2
• 13.05.2023: C2
• 14.05.2023: C2 - C3
• 15.05.2023: C3-C4
• 16.05.2023: C4 - Cume do Everest - C4
• 17.05.2023: C4 - Cume do Lhotse - C2
• 18.05.2023: C2- EBC

 
AQUI ESTÁ O ATAQUE AO CUME do Everest e Lhotse, que veremos a partir deste fim de semana. Arte: Elias Luiz | Extremos
KILIAN JORNET entre o Campo 1 e Campo 2. Foto: Bertrand Delapierre KILIAN JORNET provavelmente acima do Campo 2. Foto: Bertrand Delapierre
 

10.05.2023 - 09:54 Brasil - atualizado 12:49

3º Ciclo de Aclimatação

  Elias Luiz  
     

Carlos Canellas subiu ontem do Campo Base direto para o Campo 2, onde já dormiu uma noite e hoje tem o dia de descanso. O objetivo dele é dormir no Campo 3 e depois tocar o Campo 4 e descer para o Campo 2, dormir e depois descer para o Campo Base, finalizando assim o seu 3º Ciclo de Aclimatação.

Essa é a programação, se o clima permitir:
• 09.05.2023: EBC - C2
• 10.05.2023: C2
• 11.05.2023: C2 - C3
• 12.05.2023: C3-C4-C2
• 13.05.2023: C2 - EBC

Elon Musk

Uma equipe de alpinistas ligado a agência Elite Exped (Nimsdai), foi incumbida de escalar o Everest e fazer uma vídeo conferência direto do cume, usando equipamentos da Starlink (a rede de satélites que oferece acesso a internet de qualquer lugar do planeta). Os alpinistas irão conversar do topo do Everest com Elon Musk, o proprietário da Starlink, Tesla, SpaceX e Twitter.

Jet stream

Uma forte corrente de jato está açoitando o cume do Everest, o que é muito comum para essa época do ano. A previsão é que no dia 13 de maio a velocidade do vento diminua e assim os sherpas voltarão a subir a montanha para finalizar a instalação das cordas até o cume, abrindo assim o caminho para que todas as agências façam o seu ataque ao cume.

Os brasileiros estão aguardando a finalização da cordas até o cume e vendo a previsão do tempo para assim escolher a melhor janela. Quem pretende escalar o Everest e o Lhotse em uma tacada só, talvez precise esperar mais alguns dias, pois dependem dos Sherpas abrirem a via na Canaleta do Lhotse.

Com janelas mais curtas e os dias avançando no mês de maio, o que pode acontecer é termos dias com muita filas, ou a temporada se adentrando ao mês de junho, até que o jet stream que precedem as monções cheguem, o que normalmente acontece na primeira ou segunda semana de junho.

O interessante é que todos os montanhistas chegaram mais tarde na Base do Everest esse ano, e a montanha resolveu também abrir as suas janelas mais tarde.

Feliz Aniversário

Hoje é aniversário de 37 anos do guia Carlos Santalena, em pleno Campo Base do Everest.

Bernardo Fonseca

Bernardo enviou um áudio direto do Campo Base.

 
CARLOS SANTALENA que hoje está completando 37 anos. Na foto saindo do Campo 3 seguindo em direção a Parede do Lhotse.
Roberto Terzini e Pasang Tendi Sherpa no Campo 3, dias atrás. Acampamento da agência Elite Exped, em que a Cesalina Gracie faz parte.
 

08.05.2023 - 16:15 Brasil

Livro e brasileiros

  Elias Luiz  
     

Uaauuuu... três dias sumido. Aproveitando que os brasileiros estavam em espera da melhora do clima, aproveitei esse final de semana para finalizar o meu 5º livro: "Patagonia, uma caminhada no fim do mundo". Finalmente, hoje mandei os arquivos do livro para a gráfica e agora em mais ou menos três semanas os livros estarão aqui na redação do Extremos e serão despachados para todos que já compraram. Aproveite e compre agora o kit Patagonia com desconto: LINK DO LIVRO

Brasileiros

• Carlos Santalena, Décio Gomes e Murilo Vargas estão no Campo Base.
• Carlos Canellas acaba de sair para o 3º Ciclo de Aclimtação, onde pretende chegar no Campo 4 (8.000m), se as condições do clima estiverem favoráveis.
• Benardo Fonseca e Gabriel Tarso voaram hoje de heicóptero de Namche Bazaar para o Campo Base do Everest.
• Cesalina Gracie também voltou hoje de Namche Bazaar para o Campo Base de helicóptero.

Podcast 381

Carlos Santalena, Bernardo Fonseca e Roberto Terzini falaram sobre o 2º Ciclo de Aclimatação do Everest. Ouça e compartilhe!

 

05.05.2023 - 09:52 Brasil

Cesalina Gracie

  Elias Luiz  
     

Cesalina Gracie completou seu 1º Ciclo de Aclimatação em cinco dias. Subiu do Campo Base para o Campo 1 (5.900) onde ficou por duas noites. Depois subiu para o Campo 2 (6.400m) onde dormiu mais duas noite e tentou subir para o Campo 3, mas devido ao mau tempo sua equipe chegou até 6.600m, próximo do inicio da parede do Lhotse.

Gracie desceu para o Campo Base, onde ficou por duas noites e como o clima está começando a melhorar agora, ela desceu de helicóptero para Namche Bazaar (3.400m) pra que o corpo se recupere melhor em altitude mais baixa, para estar mais forte para o Ciclo de Cume.

Ela falou sobre o que mais lhe surpreendeu até o momento:

“O quanto nossos corpos podem realmente suportar. Mais de 10 horas de escalada sem parar, condições duras, temperaturas geladas, ventos de 50 km/h, noites sem sonos, etc. Se sua mente está definida em alguma coisa, o corpo seguirá...”

Cesalina Gracie, direto de Namche Bazaar

Podcast 380

A fotógrafa Mana Gollo contou sobre sua viagem ao pacato Butão e depois encarou uma das caminhadas mais difíceis do mundo, o Trekking ao Campo Base do Everest. Ouça e compartilhe.

 
Cesalina Gracie atrás e o sherpa de amarelo, durante o seu Clico de Aclimatação até o Campo 2.
Cesalina decolando do Campo Base Cesalina em Namche Bazaar com Gabriel Tarso (na foto) e Bernardo Fonseca
 

04.05.2023 - 02:00 Brasil

Áudio

  Elias Luiz  
     

Cesalina Gracie voltou ao Campo Base após o seu ciclo de aclimatação e e mandou a mensagem abaixo:

“Para todos que me mandaram mensagens preocupados com minha segurança, estou bem. Acabei de voltar ao Campo Baase do Everest após minha primeira rotação e ouvi notícias sobre o homem que falecu na montanha.
Este lugar é intenso. É o ambiente mais extremo que já estive. Compartilharei maiss notícias em breve...”

Cesalina Gracie

Bernardo Fonseca

Bernardo fala sobre o 2º Ciclo de Aclimatação que fez junto com Tarso.

 

03.05.2023 - 00:47 Brasil

Americano morre no Campo 2

  Elias Luiz  
     

O americano Jonathan Sugarman, de 69 anos, morreu no dia 1º de maio no Campo 2 (6.400m), ele fazia parte da agência IMG. A Embaixada Americana soltou o seguinte comunicado:

“Dr. Jonathan Sugarman faleceu enquanto escalava o Monte Everest na segunda-feira, 1º de maio. Nossas mais profundas condolências vão para sua família e amigos. A embaixada está em contato com a família de Dr. Sugarman e com as autoridades locais.”

Embaixada Americana em Katmandu

Sugarman era um médico aposentado de Seattle e em 2022 havia feito uma tentativa de escalada do Everest, desistindo depois que chegou ao Campo 3 (7.200m).

Junto com a equipe da IMG, neste Ciclo de Aclimatação, Sugarman havia subido para o Campo 1 e depois Campo 2. Estava planejado da equipe subir para o Campo 3 no dia 2 de maio, mas Jonathan Sugarman faleceu no Campo 2 no dia 1º, provavelmente de ataque cardíaco ou mal da montanha (HAPE).

Sugarman era experiente e já havia escalado o Aconcágua, Denali, Kilimanjaro, Cotopaxi, Chimborazo entre outras. Ele deixa esposa e uma filha.

Nossos sentimentos.

Roberto Terzini

Ouça o áudio do Roberto Terzini relatando como foi o seu 2º Ciclo de Aclimatação, onde chegou ao Campo 3.

 
Jonathan Sugarman durante escalada do Lobuche East.
Vista do Campo 3 (7.200m). Foto: IMG
 

01.05.2023 - 00:44 Brasil

Luxos do Campo Base

  Elias Luiz  
     

Santalena, Canellas, Décio e Murilo subiram hoje para o Campo 1, dando início ao 2º Ciclo de Aclimatação, que terá objetivo de passar alguns dias no Campo 2 e se possível tocar o Campo 3.

Permits

Até o momento foram liberados 466 permits de escalada do Everest. O recorde anterior era de 408, em 2021. Mesmo com esse grande número de licenças, como eu havia dito anteriormente, esse ano não deve ser batido o recorde de cumes no Everest, de 876 em 2019. Até o momento 20% dos montanhistas já desistiram da escalada e esse número deve chegar por volta dos 30% nas próximas semanas.

Kilian Jornet

Kilian foi visto próximo do Campo Base com sua esposa Emelie. Neste momento é difícil determinar se ele ficou para dormir em Gorak Shep (5.164m) assim não precisa de estrutura de camping no Camp Base) ou se subiu direto para o Campo 2. Se fosse uma pessoa normal, eu saberia que não haveria tempo hábil para chegar o Campo 2, mas quando estamos falando de Kilian, o assunto é diferente.

Bernardo e Tarso

Os brasileiros subiram ontem do Campo 1 para o Campo 2, onde devem descansar pelo menos dois dias antes de uma provável subida até o Campo 3, apenas tocar e descer.

Luxo no Campo Base

A cada ano que passa as agências constroem acampamentos mais luxuosos no Campo Base, para atrair novos clientes. Desde a época do famoso Russell Brice, dono da agência Himalayan Experience (Himex - fundada em 1996), ele tinha uma cabana extra onde servia cappuccino e vinho, o que já era considerado um luxo.

Pelo que eu me lembre, a agência Climbing The Seven Summits (CTSS) foi a primeira a utilizar enormes domos como uma tenda para confraternização do grupo. Onde você poderia descansar, receber massagens, se servir de um open bar e a noite rolava uma festa.

Até mesmo as tendas dormitórios subiram de nível e pequenos domos mais parecem um hotel de savana, com cama king-size, tapetes, aquecedor elétrico e serviço de quarto.

“Nosso spa está totalmente abastecido com uma mesa de massagem, aquecedor, cobertor elétrico, música relaxante e, claro, nosso talentoso massagista para ajudar a curar as dores da escalada na montanha superior exclusivamente para nossa equipe.”

Climbing The Seven Summits (CTSS)

A Elite Exped, do renomado alpinista Nimsdai, também já começou com uma excelente estrutura e foi a única agência a cercar a sua área do acampamento e proibir quem não fosse cliente de entrar nas dependências. Algo surreal, onde a confraternização entre as equipes é comum no Campo Base.

 
Uma cabana individual da CTSS no Campo Base do Everest.
O domo central de confraternização da agência CTSS.
Por dentro do domo central tem até uma mesa de ping-pong e também onde a noite acontecem as festas. (CTSS)
Domo central da agência Climbing The Seven Summits (CTSS).
Relaxando no domo central da agência Climbing The Seven Summits (CTSS).
Café a vontade no domo central da agência Climbing The Seven Summits (CTSS).
 

29.04.2023 - 09:21 Brasil

Campo 3

  Elias Luiz  
     

Depois de dois dias de descanso no Campo 2 (6.400m), Roberto Terzini subiu até o Campo 3 (7.200m) e voltou para dormir no Campo 2 (6.400m). Agora está de volta ao Campo Base, finalizando assim o seu 2º Ciclo de Aclimtação.

Na área de Destaque acima, onde tem as fotos de todos os brasileiros que estão escalando o Everest, eu uso uma nomenclatura simplificada da atividade do montanhista a cada Ciclo de Aclimatação e assim fica fácil de entender como foi aquele ciclo para o alpinista. Vou explicar abaixo com o exemplo do 2º Ciclo de Aclimatação do Roberto Terzini:

2º CA: EBC-2C1-2C2-C3-1C2-EBC

2º CA = indica que é o 2º Ciclo de Aclimatação
EBC = local de onde ele saiu, o Everest Base Camp
2C1 = dormiu duas noites no Campo 1
2C2 = subiu para o Campo 2, onde dormiu duas noites
C3 = como não tem número antes do C, quer dizer que apenas tocou o Campo 3 e voltou
1C2 = dormiu mais uma noite no Campo 2
EBC = Ele desceu direto do Campo 2 para o Everest Base Camp , finalizando o ciclo

Bernardo Fonseca

Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso subiram para o Campo 1, dando início ao 2º Ciclo de aclimatação.

Kilian Jornet

Kilian e família subiram hoje para Periche, onde provavelmente será a sua base para os próximos ciclos de aclimtação no Everest.

Equipe Grade 6

Santalena e equipe estão de volta ao Campo Base do Everest. Ouça o áudio abaixo de Carlos Santalena falando sobre a escalada do Lobuche e e sobre o planejamento dos próximos ciclos:

 
ROBERTO TERZINI no Campo 3 (7.200m) ROBERTO TERZINI na Cascata de Gelo do Khumbu.
Kilian Jornet e família em Periche. Foto: Dalja
Murilo, Santalena, Canellas e Décio no cume do Lobuche East (6.119m). Campo Base do Lobuche East. Foto: Carlos Santalena
 

27.04.2023 - 11:30 Brasil

Podcast 379

  Elias Luiz  
     

Carlos Santalena, Carlos Canellas, Décio Gomes e Murilo Vargas chegaram hoje ao cume do Lobuche East, completando assim o 1º Ciclo de Aclimatação.

Bernardo Fonseca

Gabriel Tarso já se recuperou da gripe e junto com Bernardo Fonseca fizeram uma caminhada até o Advance Base Camp do Pumori (5700m).

Terzini

Roberto Terzini fez hoje uma caminhanda saindo do Campo 2 (6.400m) e chegou próximo da parede do Lhotse (6.650m) e depois voltou para o Campo 2.

Podcast 379

Ilana Blonder, esposa do Roberto Terzini que está escalando o Everest, nos contou neste podcast como foi a sua experiência na caminhada até o Campo Base do Everest. Pra quem sonha em fazer algum dia essa trilha, aproveite que tem muitas informações.

 

26.04.2023 - 11:15 Brasil

Kilian Jornet

  Elias Luiz  
     

Kilian sendo Kilian. A família de Kilian está em Namche Bazaar, esposa, filhas e sua mãe. Dois dias atrás ele e Emelie, que também é atleta de trail running, subiram para Tengboche, onde ela fez o retorno. Kilian continuou:

“Uma ótima trip de 2 dias. Dois dias atrás Emelie Forsberg e eu começamos a correr de Namche, em Tengboche ela virou para fazer uma corrida mais longa e eu continuei até o Everest Base Camp. Ontem subi acima do acampamento 2, a 6600m e depois corri de volta para Namche.
Para a pequena história, minha mochila [de equipamentos e comida] não havia chegado [no campo base], então a viagem de ontem foi sem comida, um bom estímulo de hipóxia + fatOx. Durante toda a tripusei o mesmo tênis, coloquei uma palmilha de carbono nas minhas botas Tomir para ter os crampons e tirei para a volta. Uma das coisas que mais me incomoda nas expedições é que muitas vezes precisamos trazer muito equipamento, por isso tento ter equipamentos mais versáteis, para ter menos e usar mais.”

Kilian Jornet

Kilian Jornet está pondo em prática, mas em um nível muito mais alto do que um ser humano normal faz, para se aclimatar no Everest: Suba alto, dorme baixo.

Vou falar apenas em altitude para ficar um pouco mais claro: Kilian saiu de 3.400m e dormiu em 5.350m. No dia seguinte subiu até 6.600m e desceu para dormir em 3.400m. Só de escrever isso já fiquei zonzo. Para vocês entenderem um pouco mais, vou deixar aqui um parágrafo do excelente artigo da Lisete Florenzado sobre Mal de Altitude:

“Todos já devem ter ouvido falar sobre aclimatação. É aqui que entra a taxa de subida, que deve ser considerada quando você faz o planejamento logístico da escalada de uma montanha. A não ser em casos extremos, deve-se seguir a regrinha: climb high, sleep low (suba alto, durma baixo). Numa boa logística de aclimatação, considera-se subir no máximo 600 metros (desnível vertical) no dia. Nessa nova altitude, deve-se permanecer ao menos duas noites para que seu corpo se adapte. Isso não significa ficar na barraca o dia seguinte inteiro, mas sim subir um pouco mais, o que chamamos de “caminhada de aclimatação”, e voltar a dormir na altitude alcançada. Assim, por exemplo, você chegou a 3.600 metros. No dia seguinte, se estiver se sentindo bem, é recomendável uma caminhada onde alcance uma altitude um pouco maior, por exemplo 3.900 metros. Mas deve dormir novamente a 3.600 metros. Por isso é que se diz que a doença das alturas geralmente ocorre após uma subida rápida... é quando não se levou em consideração a aclimatação e o corpo não teve esse tempo de adaptação à nova altitude.”

Lisete Florenzano

Kilian Jornet a 6.600m, um pouco acima do Campo 2 (6.400m). Foto: Divulgação
 

25.04.2023 - 00:48 Brasil (publicado) - 16:35 Brasil | 01:20 Nepal (atualizado)

Cordas no Colo Sul

  Elias Luiz  
     

Uma equipe de sherpas da agência Imagine Nepal Treks finalizou a instalação das cordas entre o Campo 2 (6.400m) até o Campo 4 (8.000m), na tarde desta segunda-feira. Agora eles irão descer para o Campo Base para uma semana de descanso até a abertura de uma janela para executarem o trabalho final do Campo 4 até o cume do Everest

Agora eles irão descer para o Campo Base para uma semana de descanso e irão esperar a abertura de uma janela de bom tempo para executarem o trabalho final, fixando as cordas do Campo 4 até o cume do Everest.

Essa é a equipe de sherpas que trabalhou nesta fase: Dawa Gyalje, Pasang Temba Sherpa, Lakpa Sherpa, Phinjo Dorjee Sherpa, Ngima Dorjee Tamang, Pema Chhiri Sherpa, Dipen Gurung.

Com as cordas fixadas até o Colo Sul, neste momento, todas equipes estão livres para fazerem todas as rotações necessárias, onde devem chegar no máximo até o Campo 3 (7.200m). Apenas no Ciclo de Cume os alpinistas sobem mais do que essa altitude.

Equipe Grade 6

Carlos Santlane, Carlos Canellas, Dégio Gomes e Murilo Vargas estão descendo para escalar o Lobuche East, como o 1º Ciclo de Aclimatação.

Paraglider

O americano Darren John Verploegen decolou de paraglider do Campo 3 (7.200m) do Everest e pousou no Campo Base. Os oficiais de ligação apreenderam o seu equipamento, pois descobriram que ele tinha apenas a licença de escalada do Everest e não a voo de paraglider.
A primeira pessoa a voar de paraglider do cume do Everest, foi o francês Jean-Marc Boivin, no dia 26 de setembro de 1988, onde 11 minutos depois ele pousou no que hoje é conhecido como Campo 1 (5.900m).

Permits

Foram emitidos até o momento 454 licenças de escalada do Everest. Se as condições do clima forem boas nesta temporada, podemos chegar próximo do recorde de 876 pessoas no cume, que aconteceu em 2019. Lembrando que é natural acontecer uma média de 20% de desistência, o que dificulta ainda mais chegar nesse recorde.

Só acontece no Everest

Jane Markova é russa e está guiando um grupo de trekkers ao Campo Base do Everest. Hoje ela fez fotos do topo do Kala Patthar, de frente para o Everest. Além de tudo ela é uma excelente contadora de história e sua reflexão é tocante.

“ANJOS DO EVEREST - Os anjos deste lugar viram muito. As experiências mais brilhantes de felicidade e os últimos lampejos de vida em looks desbotados. Viram aqueles que ampliam os limites de seus horizontes para o tamanho do universo e aqueles para quem o passo mais corajoso de toda a vida seria recuar. Aqui, os símbolos sânscritos ganham carne em pedras, aqui o gelo eterno flui como rios de picos próximos ao espaço, e anjos - aqueles que viram muito, às vezes choram e espessas camadas de neve sem fim crescem de suas lágrimas repetidamente. Eles veem tudo e todos, mas nem todos conseguem salvar. E se você semicerrar os olhos no auge da luz do sol, é porque eles estão sorrindo para você. Você não os vê, mas quem já esteve nos picos provavelmente sabe: eles estão lá.”

Jane Markova

A russa Jane Markova no topo do Kala Patthar. Foto: Divulgação
O americano Darren John Verploegen com seu paraglider.
Cesalina Gracie durante a trilha para o Campo Base Cesalina Gracie em treinamento no Campo Base, com a Cascata de Gelo ao fundo.
 

24.04.2023 - 00:29 Brasil

Família Gracie no Everest

  Elias Luiz  
     

Com ajuda do Gabriel Bassanesi e Carlos Santalena, hoje descobrimos que temos uma mulher brasileira rumo ao topo do Everest. Cesalina Gracie, 32 anos, é neta do Grão-Mestre Carlos Gracie. Nasceu no Rio de Janeiro e hoje vive em Los Angeles. Ela é empresária, produtora , radialista esportiva e professora de jiu-jitsu, além de comandar o podcast Pura Connection.

Cesalina fará a escalada do Everest com a agência Elite Expedition, do famoso alpinista Nimsdai. Ela chegou a Katmandu há quase duas semanas e já está no Campo Base do Everest.

2º Ciclo de Aclimatação

Roberto Terzini está finalizando a travessia da Cascata de Gelo, rumo ao Campo 1.

Equipe Grade 6

Santalena, Canellas, Décio e Murilo participaram da cerimônia Puja. Uma escalada no Nepal começa sempre com o Puja, a cerimônia de oferenda aos deuses das montanhas. Ninguém sobe a montanha antes de uma cerimônia Puja, principalmente os sherpas. No fim da cerimônia, todos recebem um punhado de tsampa, um tipo de farinha, que jogam uns nos outros... e ficam com os cabelos e rostos brancos, o que simboliza a chegada da idade... e desejam vida longa uns aos outros. Todos ficam emocionados e também felizes, pois a partir de agora podem começar a subida da montanha.

Rota corrigida - o editor

Agora que o primeiro brasileiro passou pela Cascata de Gelo e podendo acompanhar o trajeto feito via rastreamento do Garmin, pude refazer o caminho que a trilha faz na Cascata de Gelo (linha de cor mostarda no mapa) e percebemos o quanto ela passa próximo a região de risco de avalanche. O local onde os 3 Sherpas morreram na semana passada após a queda de um serac. Normalmente os alpinistas passam nessa região antes do amanhacer, com as condições de gelo mais estável na montanha. A queda de serac na semana passada, aconteceu por volta das 9h30, no momento que os três sherpas desciam vindo do Campo 2.

Bernardo e Tarso

Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso realizaram o 1º Ciclo de Aclimatação escalando o Lobuche East. Ouça o áudio. Bernado vai subir para o Campo Base e tarso ficará se recuperando de uma gripe em Lobuche.

 
A brasileira Cesalina Gracie.
Gabriel Tarso e Bernardo Fonseca acompanhados dos sherpas no cume do Lobuche East.
 

23.04.2023 - 09:42 Brasil

Brasileiros

  Elias Luiz  
     

Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso completaram o 1º Ciclo de Aclimatação escalando o Lobuche East (6.119m). Agora estão de volta a base da montanha e amanhã sobem para o Campo Base do Everest. Bernardo disse que Tarso está gripado, mas passa bem e está se recuperando.

2º Ciclo de Aclimatação

Roberto Terzini parte nesta madrugada (dentro de algumas horas) para o seu 2º Ciclo de Aclimatação, onde passará pela primeira vez pela Cascata de Gelo do Khumbu e deve pernoitar no Campo 1 (5.900m). Ele passou o cronograma deste 2º ciclo. EBC (Everest Base Camp):
• 24.04.2023: EBC - C1
• 25.04.2023: C1
• 26.04.2023: C1 - C2
• 27.04.2023: C2
• 28.04.2023: C2 - C3 - C2
• 29.04.2023: C2 - EBC

Equipe Grade 6

Carlos Canellas, Carlos Santalena, Décio Gomes e Murilo Vargas chegaram ao Campo Base do Everest.

22.04.2023 - 11:37 Brasil

Jess de volta ao Everest

  Elias Luiz  
     

Em 2016, a americana Jess Wedel foi diagnosticada com câncer no ovário, e desde então passou por várias cirurgias e sessões de quimioterapia. Ela foi curada do câncer e em 2021 fez a sua primeira tentativa de escalar o Everest. Na vespera do Ciclo de Cume, os sherpas da equipe pegaram Covid-19 e a expedição foi cancelada.

Jess está de volta ao Everest e trouxe com ela até o Campo Base do Everest, um grupo de mulheres que também venceram a batalha contra o câncer de ovário.

O grupo já foi embora, agora Jess aguarda a sua expedição que irá escalar o Everest.

“Ontem à noite nevou alguns centímetros no acampamento base, trovões rolaram e pequenos raios iluminaram o interior da minha barraca. Pouco antes de dormir, demos a volta e sacudimos as barracas para tirar a neve... Esta manhã nós acordamos com o acampamento base mais brilhante, os cumes das montanhas estão totalmente brancos.
O café da manhã foi ovos cozidos que estavam um pouco moles demais para mim e panquecas. Mergulhei a panqueca em xarope “American made” porque o estresse das últimas semanas torna difícil comer calorias suficientes.
O restante de nossa equipe chega hoje, e um acampamento base tranquilo e pacífico fará a transição para uma explosão de energia animada. Depois do café da manhã, Ang Mingma, Dawa e eu trabalhamos na barraca para deixá-la mais segura. Vivemos em uma terra de gelo derretido. Movemos pedras e cortamos gelo para manter as coisas uniformes e estáveis. Não sei quais são meus próximos passos - talvez eu vá para a montanha em breve, talvez continuemos descansando e observando o que ela faz. Mas finalmente estou recuperando meus sentimentos e recuperando algum tempo sozinha. Não sou muito boa com as atualizações diárias, mas aqui estão algumas fotos das últimas três semanas, cheias de vida e vivendo em toda a sua glória e dor. A melhor coisa que existe.”

Jess Wedel

Jess Wedel com o grupo de mulheres que foram curadas do câncer de ovário, subindo o Nargkartshang (5.083m).
Jess e as amigas no cume do Nargkartshang (5.083m). Jess Wedel no cume do Lobuche East, após seu 1º Ciclo de Aclimatação.
 

21.04.2023 - 00:50 Brasil (publicado) - 10:00 Brasil | 06:45 Nepal (atualizado)

Kilian | Bernardo | Santalena

  Elias Luiz  
     

Kilian Jornet chegou a Namche Bazaar com suas duas filhas, a esposa Emelie Forsberg e sua mãe Núria Burgada.

O objetivo de Kilian para esse ano é a escalada do Everest sem o uso de oxigênio suplementar e provavelmente ele escalará na sequência o Lhotse, fazendo assim o double-head perfeito, escalando dois 8.000m em menos de 24 horas.

Bernardo e Tarso

Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso que passaram alguns dias descansando no Campo Base do Everest, hoje irão descer para o Campo Base do Lobuche, onde irão fazer o mesmo ciclo de aclimatação que o Roberto Terzini fez dias atrás, a escalada até o cume do Lobuche East.

Santalena e equipe

Carlos Santalena, Canellas, Décio e Murillo já estão em Lobuche.

“Mais um dia de aclimatação acima dos 5.000 metros de altitude. A paisagem é de muita rocha e glaciar e Lobuche é nosso último vilarejo antes do base camp. Trekking para o Base Camp certamente é uma experiência cultural rica e cheia de energia por este país incrível, Nepal. E lá se foram mais de 10 dias desde a partida do Brasil. A saudade bate forte a cada dia e ainda mais forte nos dias de descanso ativo como hoje em que temos mais tempo pra relaxar.

A parte alta da montanha já nos oferece pequena ardência nas narinas quando respiramos profundamente, esta ardência chega a ser viciante, é o sinal que entramos em uma atmosfera intensa de ar rarefeito, causado pela baixa pressão atmosférica nesta altitude. As florestas dão lugar as pedras e a vegetação rasteira, os rios dão lugar aos glaciares, as mulas e bisaks dão lugar aos Yaks, as civilizações dão lugar a pequenas vilas mantidas apenas para turistas em temporada, as trilhas trabalhadas com pedras dão lugar a morainas e encostas mais escarpadas. Passamos da cota de 5000m e amanhã estaremos no base camp - 5350m.”

Carlos Santalena

Carlos Santalena e Décio Gomes. Foto: Murilo Vargas
Emelie Forsberg com Kilian ao fundo, junto com suas filhas e Núria Burgada. Iaque transportando cargas rumo ao Campo Base. Foto: Carlos Santalena
 

18.04.2023 - 00:35 Brasil (publicado) - 16:20 Brasil | 01:05 Nepal (atualizado)

Permits, gráficos e brasileiros

  Elias Luiz  
     

Até o momento foram liberados 319 permits para a escalada do Everest, sendo 265 homens e 54 mulheres.

Esse ano promete ser bastante movimentado, mas o que pode complicar tudo ou deixar tudo mais tranquilo, será o clima. Quantas janelas e quantos dias bons os alpinistas terão para uma tentativa de cume? Se tivermos poucos dias, então veremos enormes filas no Ataque ao Cume. Mas se for como no ano passado, onde os cumes aconteceram em 15 dias diferentes, a escalada acaba sendo mais tranquila.

Veja abaixo alguns gráficos que criei sobre as temporadas do Everest.

Santalena e equipe

Carlos Santalena, Canellas, Décio e Murilo já estão em Pheriche.

“Hoje deixamos a parte baixa do vale do khumbu, que se inicia margeando o “rio do leite”, que escorre desde o glaciar khumbu e ngozumba. Nos primeiros dias de caminhada do trekking ao Everest, caminhamos por florestas de pinus e de rododendros, por trilhas de pedras , tomando chá de limão com gengibre de tempo em tempo, entrando em contado com crianças, famílias , antigos amigos , monges budistas , bençãos budistas, em um lugar onde as pessoas ainda não conhecem a roda , ainda carregam todo tipo de suprimentos em animais ou carregadores, seres humanos de extrema força e resiliência que muitas vezes carregam cargas que superam seus pesos corporais, trabalhadores e construtores que como um mosaico vão levantando casas maciças de pedras, como se fosse um retorno no tempo. Tudo isso tendo montanhas geladas acima de 6000m e 8000m em nosso pano de fundo.
Já estamos a 4270m em Pheriche , com todos os integrantes bem aclimatados e em alta sintonia. ”

Carlos Santalena

Escalando o Lobuche East

Roberto Terzini conta como foi a sua escalada de aclimatação no Lobuche East (6.119m)

Mais Brasil

Bernardo Fonseca disse como o corpo sente quando se passa dos 5.000 metros de altitude. Bernardo e tarso já estão no Campo Base do Everest. Ouça o áudio.

 
 
ROBERTO TERZINI no cume do Lobuche East (6.199m).
 
GRÁFICO DA TEMPORADA DE 2022, onde mostra quantas pessoas chegaram ao cume, em cada dia de cume. Foram 15 dias no total e com 670 pessoas. Isso apenas na Face Sul, Nepal.
 
GRÁFICO QUE MOSTRA total de pessoas no cume (AZUL), quantos dias de cume (AMARELO) e quantidade de mortes (LARANJA). Na Face Sul, Nepal.
 
GRÁFICO GERAL com Face Sul e Face Norte. Quantidade de pessoas no cume e quantidade de mortes.
 

14.04.2023 - 17:51 Brasil

Mortes no Everest

  Elias Luiz  
     

Com base no "The Himalayan Database", desde 1921 até hoje, são 11.341 cumes no Everest, somando face sul e face norte. Não é sobre pessoas diferentes, e sim, quantos cumes foram feitos. Muitos estrangeiros e sherpas chegaram ao cume do Everest mais de uma vez, como exemplo o sherpa recordista Kami Rita, que chegou ao cume 26 vezes.

Ao todo, 326 pessoas morreram na tentativa de escalar o Everest. Você pode ver pelo mapa principal da cobertura, onde as mortes aconteceram na montanha (VERMELHO: sherpas; PRETO: estrangeiros) e assim é possível notar os trechos mais perigosos da escalada, que acontece na Cascata de Gelo e no dia de Ataque ao Cume, acima dos 8.000m.

Entre aspas

Mingma G publicou a seguinte mensagem em seu instagram:

“O calendário diz que é o Ano Novo nepalês [2080] e todo o Nepal está comemorando. O calendário diz que é meu aniversário, mas estou de luto. Anteriormente, eu havia informado que estava no Campo 2 do Annapurna. Na quarta-feira à noite, recebi notícias tristes sobre meus três irmãos Sherpas, parceiros de escalada desaparecidos no Everest e voltei do Campo 2 do Annapurna no dia seguinte na esperança de encontrá-los. Diretamente de Annapurna, fomos para o Khumbu Icefall para ver se conseguíamos encontrar algo, mas nenhuma pista. Nesta manhã, voltamos para procurá-los e conseguimos localizar a área, mas não foi possível trazê-los de volta para casa. Um enorme bloco de gelo caiu e os enterrou. Levaria mais algumas vidas para desenterrar meus irmãos, então tivemos que deixar seus corpos debaixo do gelo. Sinto muito por suas almas, famílias, parentes e amigos. No momento, peço que rezem por sua partida pacífica. A vida é incerta, mas enquanto estiver vivo, cumprirei minhas responsabilidades para com suas famílias. Descanse em paz meus irmãos, Pemba Tenzing, Lakpa Rita e Dawa Tseri”

Mingma G

Os três Sherpas que faleceram na Cascata de Gelo do Khumbu.

Permits

Até o momento foram liberados 243 permits para escalar o Everest.

Podcast 377

Grade 6

Carlão, Canellas, Murilo e Décio pousaram hoje em Lukla e já estão em Phakding.

Roberto Terzini

Pelo rastreamento do seu Garmin, vimos que Roberto Terzini chegou até o Over High Camp e desceu para o Campo Base. (veja no mapa abaixo)

 
INFOGRÁFICO com as mortes no Everest: CÍRCULO VERMELHO (Sherpas) - CÍRCULO PRETO (estrangeiros). Arte: Elias Luiz | Extremos
ROBERTO TERZINI chegou até o Over High Camp e já está de volta ao Campo Base do Lobuche. Arte: Elias Luiz
 

13.04.2023 - 15:26 Brasil

Aretha de volta

  Elias Luiz  
     

Aretha Duarte, que escalou o Everest em 2021, está de volta, desta vez como guia de trekkig, com um grupo de 11 pessoas, sendo 8 mulheres. O objetivo do grupo é a caminhada até o Campo Base do Everest.

Aretha é guia da Grade6 e nesta manhã o grupo saiu Namche Bazaar em direção a Tengboche, um dos vilarejos mais lindos da trilha.

São dados como mortos os três sherpas desaparecidos

Os socorristas perderam a esperança de encontrar vivos os três sherpas soterrados nos escombros do serac que caiu na Cascata de Gelo do Khumbu. É impossível cavar ou mover as toneladas de gelo que caíram sobre eles ontem.

“Os blocos de gelo são tão grandes quanto as casas”, disse Norbu Sherpa, da Associação de Resgate do Himalaia. Os sherpas que faleceram são: Da Chhiree Sherpa, Lakpa Tendi Sherpa e Lakpa Rita Sherpa. Nossas condolências aos amigos e familiares.

Eles faziam parte de uma equipe de 25 pessoas da Imagine Nepal, designada a instalar as cordas entre o Campo 2 (6.400m) e o cume do Everest (8.848m).

A tragédia ocorreu ontem às 9h30, quando os escaladores estavam cruzando o chamado Football Field a 5.700m, disse Norbu Sherpa. Essa seção, bem no meio da Cascata de Gelo, é a mais exposta à queda de seracs.

Em 2014, 16 Sherpas morreram devido a uma avalanche no mesmo local.
Confira abaixo o infográfico.

Grade6

Carlos Santalena, Carlos Canellas, Murilo Vargas e Décio Gomes estão em Katmandu e amanhã partem para Lukla.

Bernardo e Tarso

Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso estão em um dia de aclimatação em Namche Bazaar. Eles visitaram o SPCC (Sagarmatha Pollution Control Committee) que faz o controle do lixo reciclado da região. Ouça o áudio.

Roberto Terzini

Roberto Terzini voltou a escalar o Lobuche. Subiram para o High Camp (5.400m) e depois seguiram até o Over High Camp (5.700m). Se o clima estiver bom, amanhã farão o ataque ao cume, completando assim o 1º Ciclo de Aclimatação.
Se você é novo aqui na Cobertura do Everest, fique atento ao avatar do Roberto, no mapa abaixo, pois será da mesma forma quando partirem para o Everest. O avatar colorido é sempre onde ele está neste momento. Em preto e branco é a altitude máxima que ele alcançou em dias anteriores.

INFOGRÁFICO DA AVALANCHE que matou 3 sherpas na manhã desta quarta-feira. Arte: Elias Luiz | Extremos
A rota de escalada do Lobuche East. Arte: Elias Luiz
Aretha Duarte com o grupo de mulheres na entrada do Parque Nacional. Aretha Duarte e equipe com o Everest ao fundo.
 

12.04.2023 - 10:05 Brasil

Três Sherpas desaparecidos

  Elias Luiz  
     

Três escaladores sherpas, da agência Imagine Nepal Treks, desapareceram após uma avalanche na Cascata de Gelo. O acidente aconteceu na manhã desta quarta-feira e mesmo após buscas por terra e voo de helicóptero sobre a área do acidente, não foram encontrados. As buscas devem retornar nesta quinta-feira.

A avalanche foi muito similar a que aconteceu em 2014, onde 16 Sherpas morreram. Após ver o vídeo da avalanche, foi possível notar que provavelmente o bloco de gelo que se desprendeu é da mesma área do acidente de 2014.

Apesar dos sherpas a paritr de 2015 terem traçado uma rota passando pela região mais central da Cascata de Gelo, eles nunca estão imunes aos perigos.

Clique abaixo e assista o vídeo da avalanche.

 
Avalanche que aconteceu hoje na Cascata de Gelo
 

Bernardo e Tarso

Ouça o áudio do Bernardo Fonseca gravado durante a sua saída de Phakding para Namche Bazaar, o segundo dia de trilha.

 
Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso
 

11.04.2023 - 14:38 Brasil

Mais brasileiros na trilha

  Elias Luiz  
     

Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso fizeram hoje de manhã um voo de helicóptero de Katmandu até Lukla. Normalmente algumas expedições optam pelo transporte de helicóptero por ser mais seguro e também por cumprir o horário de voo programado. Após um descanso, devem partir para o vilarejo de Phakding ou Mojo. Esse trecho da trilha é o único até o Campo Base do Everest que em vez de você subir, você desce: de Lukla (2.840m) até Phakding (2.610m)

Áudio Roberto Terzini

• Roberto Terzini chegou ao acampamento base do Lobuche e já fez uma primeira aclimatação subindo até próximo ao High Camp (5.450m) e desceu de volta para o Campo Base. Nos próximos dias ele irá escalar o Lobuche East (6.119m).

Depois de tantos anos e de agora realmente pelo Lobuche East ter entrado definitivamente como um 1º Ciclo de Aclimatação, antes de partirem para o Everest, chegou a hora de criar um mapa mais detalhado de como é feita a escalada. A imagem com melhor ângulo que consegui foi via Google Earth, mas ela está perfeita e podemos entender muito melhor como é a escalada do Lobuche East (6.119m).

O áudio abaixo é sobre a chegada do Roberto Terzini ao Campo Base do Lobuche. Ouça e comente.

 
A rota de escalada do Lobuche East. Arte: Elias Luiz
Roberto Terzine durante ciclo de aclimatação. Foto: Ilana Bonder Bernardo Fonseca e Gabriel Tarso desembarcando em Lukla.
 

08.04.2023 - 20:52 Brasil

Kilian Jornet de volta ao Everest

  Elias Luiz  
     

A Fundação Coca-Cola está apoiando a Campanha de Limpeza de Montanhas 2023 liderada pelo Exército Nepalês em sua quarta edição, que começou no dia 28 de março e vai até o dia 5 de junho. Uma equipe de 97 pessoas estará limpando quatro montanhas: Everest, Lhotse, Annapurna e Baruntse. A estimativa é que recolham 35 toneladas de resíduos e que depois serão entregue aos parceiros de reciclagem.

• Já foram emitidos 148 permits para o Everest.

• O trail runner Kilian Jornet está de volta e pretende escalar, sem o uso de oxigênio suplementar, o "double-header": chegar ao cume do Everest e do Lhotse em menos de 24h.

 

• Gabriel Tarso já está em Katmandu, aguardando a sua equipe.

• O sherpa Kami Rita está de volta e pretende quebrar o seu próprio recorde de escalada do Everest. Até 2022 ele escalou o Everest 26 vezes.

• O Brasileiro Roberto Terzini está em Periche.

Roberto e Ilana durante caminhada de aclimatação próximo a Periche. Kami Rita em busca do seu 27º cume do Everest.
 

06.04.2023 - 00:15 Brasil

Cada vez mais tarde | Hoje tem áudio

  Elias Luiz  
     

A cada ano que passa os montanhistas estão chegando cada vez mais tarde para o início da temporada do Everest. Comecei a fazer a cobertura do Everest, em 2004, com Rodrigo Raineri e Vitor Negrete pela face norte. Mas os montanhistas, na Face Sul, no Nepal, começavam a caminhada em Lukla por volta do dia 20 de março. Hoje estamos no dia 5 de abril e Bernardo Fonseca, Carlos Santalena e outros ainda estão no Brasil.

E não tem nada de errado nisso. As expedições foram se aprimorando, as estruturas de montagem das cordas fixas também se modernizaram, onde a maior parte das cordas e equipamentos são transportados de helicóptero ao Campo 2 e de lá a equipe de Sherpas começam o segundo trecho da instalação das cordas, que começa na parede do Lhotse e vai até o cume do Everest. O primeiro trecho começa no início da Cascata de Gelo e vai até o Campo 1.

Os ciclos de aclimatações também passaram por novos processos, onde agora os alpinistas costumam fazer o 1º Ciclo de Aclimatação escalando de preferência o Lobuche East (6.119m), que fica no caminho, já bem próximo do Campo Base (e que você pode ver no mapa acima, na parte superior, ao lado direito). As vezes algumas expedições escolhem escalar o Island Peak (6.189m). Desta forma eles evitam de passar mais duas vezes (ida e volta) pela perigosa Cascata de Gelo do Khumbu.

O uso de cilindros de oxigênio também ganharam aprimoramentos, onde hoje em dia algumas expedições oferecem cilindros a mais e também um pernoite no Campo 4, antes do ataque ao cume, algo que era raro antigamente.

As expedições antigamente duravam entre 50 a 60 dias, hoje em dia a média é de 40 dias. Com o processo cada vez mais dinâmico, é normal que algumas pessoas não consigam se aclimatar direito e acabam usando cilindro de oxigênio já no Campo 1. Algo que eu nunca tinha ouvido falar antes de 2021.

Áudio

Roberto Terzini, o brasileiro que está mais adiantado na trilha, acabou de enviar o primeiro áudio da temporada, direto de Namche Bazaar. Ouça e comente!

 
Namche Bazaar. Foto: Roberto Terzini Roberto Terzini apontando para o Everest. Foto: Ilana Bonder
 


03.04.2023 - 15:35 Brasil

Em Phakding

  Elias Luiz  
     

Roberto Terzini e esposa, viajaram hoje de helicóptero de Katmandu até Lukla, onde iniciaram o primeiro dia de caminhada até o vilarejo de Phakding. A partir de hoje Roberto, como todos os outros alpinistas que irão escalar o Everest, farão a mesma trilha e no mesmo tempo o famoso Trekking ao Campo Base do Everest.

Você poderá acompanhar em tempo real todo o trajeto e rastreamento do Roberto Terzini, através dos sinais do seu Garmin que são captados por satélites. Clique no link: Garmin Roberto Terzini

Roberto Terzini na saída do seu hotel em Katmandu.
 

02.04.2023 - 17:00 Brasil

Cordas fixas no Campo 2

  Elias Luiz  
     

As cordas fixas já chegaram ao Campo 2. O trabalho está sendo realizado nesta temporada pelos Icefall Doctors da agencia Imagine Nepal. A previsão é que as cordas cheguem ao cume até o dia 1º de maio. Analisando os anos anteriores, as cordas costumam chegar no cume entre os dias 5 a 10 de maio.

• Tardiamente a China abriu a escalada do Everest, pela Face Norte, aos estrangeiros. A maioria dos estrangeiros devem fazer a escalada pela Face Sul, no Nepal.

• Muitas equipes já estão em Katmandu. Até o momento o Ministério do Turismo já emitiu mais de 50 licenças de escalada. É esperado para essa temporada a liberação de cerca de 400 licenças (400 alpinistas). Vale lembrar que cada alpinista escala acompanhado de pelo menos um sherpa.

Marcos Giulio, leitor dos meus livros e que sempre acompanha as temporadas de escaladas no Everest, acaba de realizar o seu sonho de chegar ao Campo Base.
Roberto e Ilana durante briefing para aproximação do Campo Base. Foto: Ilana Bonder Ilana Bonder, esposa do Roberto Terzini, no centro histórico de Katmandu.
 

29.03.2023 - 14:00 Brasil

Novas regras já caíram

  Elias Luiz  
     

A maioria dos montanhistas brasileiros devem chegar a Katmandu na primeira semana de abril. Mas com certeza, todas as expedições já estão com os trabalhos adiantados com suas equipes de sherpas e porteadores rumo ao Campo Base do Everest. Recentemente a agência brasileira Grade6, informou que já estavam finalizando os preparativos da expedição em Katmandu e divulgou algumas fotos que você pode ver abaixo.

• Os Icefall Doctor's já estão instalando as cordas até o Campo 1. Esse é sempre um dos trechos mais complicados, pois todos os anos eles precisam encontrar a melhor rota pela Cascata de Gelo. Evitando trechos com risco de avalanche e usando o mínimo de escadas metálicas.

• Quase todos os anos, o governo do Nepal emite novas regras mais restritivas e que a mídia adora divulgar aos quatro ventos. Acontece que com 18 anos de cobertura de Everest, aprendemos que isso é apenas uma sinalização de virtude, algo tão em moda hoje em dia. Mas no final das contas as regras nunca são exigidas e cumpridas. Essa era nova regra anunciada no início deste ano e que já caiu: "Apesar da ordem obrigatória do Conselho de Turismo do Nepal (NTB), exigindo que um guia registrado seja contratado durante a caminhada solo no Nepal, o Município Rural de Khumbu Pasang Lhamu renunciou às regras, afirmando que não é obrigatório na região do Everest, a rota de trekking mais popular do país." - E como sempre acontece no Nepal, tudo voltou ao normal.

que
A equipe dos ICEFALL DOCTOR'S , já estão trabalhando a todo vapor.
Eles irão comer muito arroz e salada de frutas enlatadas...rsss. Foto: Grade6 Barracas da The North Face que a Grade6 utilizará nos acampamentos altos. Foto: Grade6
 

27.03.2023 - 10:00 Brasil

Abertura da temporada 2023 do Everest

  Elias Luiz  
     

Estamos começando a 18ª Cobertura Online do Extremos da temporada de escalada do Everest. Aqui estão alguns dos brasileiros que irão escalar o Everest em 2023. Quem ainda não estiver incluido na cobertura, favor entrar em contato comigo.

• O grande destaque desta temporada vai para o Carlos Canellas, 49 anos, que fará uma nova tentativa de escalar o Everest sem o uso de oxigênio suplementar. Canellas escalou o Everest em 2011, mas em 2013 e 2022 ele voltou para tentar a escalada sem o uso de oxigênio suplementar, onde chegou próximo dos 8.500m e deu meia volta. Toda a torcida para que ele conclua esse feito que ainda é inédito entre os brasileiros.

• Carlos Santalena, 36 anos, diretor da Grade6, está de volta e se ele chegar ao cume se tornará o brasileiro que mais vezes esteve no teto do mundo. Hoje, ele divide com Rodrigo Raineri, 3 cumes do Everest. Carlão já escalou outros oito mil: Lhotse, Manaslu e Makalu. Junto com a expedição da Grade6 estará o montanhista Décio Gomes e o excelente cinegrafista Murilo Vargas.

• Bernardo Fonseca, 45 anos, casado e pai de três filhos, se destacou ao vencer a Antartic Marathon em 2010. Entre suas conquistas estão o: Manaslu (8.163m), Aconcágua, Elbrus, Kilimanjaro e muitas outras montanhas. Bernardo pretende fazer o double-header, a escalada do Everest e do Lhotse em sequência, feito inédito entre os brasileiros.

• O cinegrafista e montanhista Gabriel Tarso, 35 anos, já escalou o Everest duas vezes. Está de volta e fará as imagens da escalada do Bernardo Fonseca. Tarso na montanha é garantia que teremos ótimas imagens na temporada.

•  Roberto Terzini é montanhista, e o sonho e planejamento em escalar o Everest começou há 10 anos, após ter escalado o Kilimanjaro. Dentre outras montanhas dos Sete Cumes, ele já escalou o Aconcágua, Denali e o Vinson. Terzini também pretende fazer o double-header, que constiste em menos de 24 horas chegar ao cume do Everest e depois ao cume do Lhotse.

OBS: É só clicar no avatar de cada um para acessar o instagram pessoal deles.

Fiquem ligados na cobertura online que diariamente estaremos publicando notícias e ao longo da temporada publicaremos podcasts, fotos e vídeos.

Sucesso a todos!

 
 

comentários - comments
 
 
comentários - comments